Como Funciona a Rede de Perfis Fakes pró Bolsonaro

Um dos maiores erros que nós (eu me incluo) cometemos há anos é o de chamar os perfis fakes bolsonaristas de “robôs” ou “bots”. Ambas as definições sugerem que esses perfis não são operados por pessoas de verdade e sim por inteligências artificiais. Nada mais enganoso que isso.

Um perfil fake bolsonarista geralmente não nasce como perfil bolsonarista. Basicamente eles nascem como perfis falsos com fotos de pessoas reais, normalmente de outros países, sem grandes preocupações em esconder quem são essas pessoas. Porque o importante é a quantidade deles inundando as redes.

Se descobrem um perfil falso, sem problemas, é só mais um entre muitas centenas.

A grande questão aí é que todos esses perfis fakes são administrados por pessoas reais. Pessoas que muitas vezes trabalham de forma profissional nosso, administrando dezenas de perfis pró Bolsonaro.

Outros fazem isso voluntariamente. A questão é que a administração desses perfis em geral não dá muito trabalho: as diretrizes já vem prontas e são espalhadas nos grandes grupos ligados ao Bolsonaro. Especialmente no Telegram, onde não há limite no tamanho, mas também no Facebook.

O WhatsApp é uma especie de destinatário final, é o lugar onde essas narrativas chegam ao povo que ainda não está radicalizado. Mas em redes como o Twitter o volume é o que importa. Mais do que serem grandes, eles precisam parecer grandes. Por isso esse monte de perfil aí em toda e qualquer discussão.

O fato de que são humanos e não máquinas muda MUITA coisa. Em geral as respostas são manuais e customizadas de acordo com quem está escrevendo. Em geral, existem dois grupos: os “profissionais”, que sabem inclusive quem é quem no “progressismo”, e os voluntários, que só replicam. Dar um RT é muito fácil. Dá pra fazer milhares de vezes por dia sem grande esforço de automatização.

A grande necessidade desses perfis é a de validação. O esquema para um perfil fake se tornar um perfil “confiável” pras redes segue praticamente a mesma lógica de um esquema de lavagem de dinheiro. A lavagem de dinheiro tem três etapas: colocação, ocultação e integração.

Para um perfil fake é mais ou menos igual: primeiro você “coloca” o perfil no sistema, criando-o. Depois vem a “ocultação”, através de táticas como o follow back ou tweets aleatórios sobre temas triviais. Nessas fases os perfis em geral ainda não tem estética bolsonarista. Costumam ser perfis que escrevem coisas específicas para viralizarem.

Por fim vem a integração: os perfis se assumem bolsonaristas, apagam seus rastros anteriores e passam a fazer campanha dia e noite. Aqueles perfis inofensivos estão oficialmente no ecossistema das redes sociais, fazendo parte da repercussão dos grafos que aparecem a cada tema, subindo hashtags e narrativas.

E daí, quanto mais as pessoas interagem com esses perfis, mais eles são considerados “confiáveis” pela plataforma. A diferença pras plataformas é que elas em geral não tem políticas estruturadas contra perfis fake: eles servem de volume e isso ajuda nos balanços financeiros.

O mais importante: as pessoas que estão controlando esses perfis tem um objetivo (defender Bolsonaro) e nenhum escrúpulo, afinal não vão mostrar a cara e nem serão desmascaradas pelas plataformas. Então eles espalham ódio sem qualquer limite, tornando qualquer discussão desigual. E, portanto, desnecessária.

E a coisa chega ao ponto em que esses perfis se tornam quase indistinguíveis do bolsonarismo orgânico. Sim, o bolsonarismo orgânico existe, são pessoas que seguem o mesmo fluxo de replicarem as narrativas que vem do Telegram, mas que mostram as suas caras nas postagens.

Por isso, é um erro estratégico ficar chamando essa montanha de perfis falsos de “bots” ou “robôs”. Existem perfis controlados por bots, mas são minoria e são usados só em algumas ocasiões, como pra engajar narrativas especificas.

Se esses perfis encherem seu saco, ignore e bloqueie, pra diminuir o engajamento deles. Se tiver paciência, denuncie, mas no caso do Twitter as denúncias estão tendo pouco ou nenhum efeito ultimamente.

Mas não engajem, nem pra ridicularizar. É exatamente o que eles querem!

Um comentário sobre “Como Funciona a Rede de Perfis Fakes pró Bolsonaro

  1. É isso mesmo: Ignorar ! Deixe que falem para eles mesmos . Vamos nos ater nos nossos e fortalecer as campanhas de esquerda . Os bolsonarentos hão de ver em algum momento que estão equivocados na forma de militância em que atuam. Pelo menos os poucos que ainda preservam algum fiapo de caráter.

    Curtir

Deixe uma resposta para Elis Alberta (Elis) Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s