Umas Palavras Difíceis e Meio Pedantes que Não Fazem Muito Sentido Mas eu Estava Usando como Teste de Como Escrever Rebuscado

A noção de privilégio é por si só característica do sistema psico-sócio-econômico em que vivemos, que provavelmente nem consigamos mais chamar de capitalismo. Isso ocorre pelo fato de que a noção de privilégio é uma noção eminentemente comparativa, e a visão do privilégio parte necessariamente da visão concorrencial entre pessoas.

Vemos as demais pessoas como os outros e não como uma extensão de nós mesmos e, partindo dessa premissa, torna-se confortável estarmos numa situação de acesso a recursos e estruturas que o outro não tem, porque a desgraça do outro passa a ser simplesmente algo que não diz respeito a mim mesmo. Somos a sociedade da empatia moribunda, por vezes manifestada como um mecanismo de autopromoção.

Esse sistema de auto-adulação e pouca parcimônia em demonstrar desprezo pelos que nos cercam evolui constantemente e nos leva a uma constante sensação de náusea, advinda da nossa necessidade de permanecer relevante. O privilégio, no fim, é uma oscilação constante entre o desejo de ser esquecido enquanto você desfruta das benesses de um sistema injusto. É peremptório que busquemos formas de coalizão para além de nossas idiossincrasias para sobrevivermos num mundo hostil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s