Parabéns aos que Conseguem Produzir Coisas de Qualidade

Eu quero de coração deixar meus parabéns aqui para quem consegue se dedicar e produzir conteúdo com consistência nas redes sociais. Sério, eu tenho uma inveja boa, vejo que vocês pesquisam, se esforçam, produzem conteúdo, fazem trabalhos incríveis que eu jamais teria capacidade de fazer.

Eu tenho uma pegada mais low profile nas redes, eu sei. Posso enumerar vários motivos para não ser diferente: a falta de disciplina, minha saúde mental debilitada, meu trabalho, meu doutorado, a pós graduação que eu resolvi fazer no meio do doutorado, a minha família e a necessidade de criar duas filhas e ainda pagar contas. Todos esses seriam motivos justos. Mas os produtores de conteúdo bem sucedidos tem todos esses percalços e ainda conseguem planejar, produzir e espalhar conteúdo com qualidade. É genial. Mas é algo que ainda não consegui fazer.

E na real isso faz com que eu me sinta meio bosta. No fim eu me sinto só um Zé Mané que escreve umas coisas no Twitter e não consegue fazer muita coisa além disso. Estou fazendo ótimas entrevistas uma vez por semana também. Isso é muito legal. Mas não consigo ir além disso. É pior de tudo: parece que eu faço e divulgo as coisas de uma forma tão ruim que no fim ninguém se importa. Eu sou uma curva de rio. Eu sou o lugar onde o conteúdo vem para morrer.

É pior ainda: eu sou um mala que já briguei com todo mundo. Bolsonaristas me odeiam por motivos óbvios (e tenho orgulho disso). Liberais já me odiavam antes do bolsonarismo existir. Petistas me odeiam porque eu não rezo pela cartilha conspiratória (e mais recentemente porque eu sempre me manifesto contra essa maldita invasão da Rússia em território ucraniano). Os ciristas me odeiam porque ciristas odeiam todo mundo que não declara voto no Ciro. Pessoas aleatorias me odeiam porque eu sou o chato que só fala de política. No fim eu me encontro na bizarra posição de não me sentir parte de nenhuma turma e não me sentir importante pra ninguém mesmo tendo mais de 110 mil seguidores no Twitter.

Tudo isso pesa. Tudo isso faz com que as redes sociais sejam extremamente prejudiciais para mim. Sejam mais um local em que eu me sinto mal, em que eu não me sinto querido por ninguém mesmo com pessoas me falando todo dia “você é querido”. Pior ainda: as redes fazem com que eu me sinta insuficiente e em dívida. Em dívida com meus seguidores, por não conseguir montar uma estrutura de produção de conteúdo decente é bem sucedida. Em dívida comigo mesmo, porque eu não consigo cumprir minhas expectativas. Em dívida com minha família, porque não consigo tornar a produção de conteúdo de qualidade na Internet numa fonte de renda mesmo com todo mundo falando “você é uma celebridade, é só você começar que você consegue”

Não é. E eu me sinto um fracasso por isso. Mas não consigo escrever nem mesmo sobre as razões do meu fracasso. Por todos os motivos que já elenquei acima.

Pior ainda: eu não me sinto parte de nenhuma turminha. Não me sinto também ninguém especial, que faça algo que ninguém mais faz. Não me sinto útil. Se eu morresse amanhã, as pessoas chorariam dois ou três dias e depois me esqueceriam. E esse é o meu maior medo: sou um velho que faz 40 anos ano que vem e não construí relações, não construi um legado, não construí nada digno de nota. Eu me sinto um desperdício de oxigênio no final do dia.

Então, meus sinceros parabéns para todos os que conseguem produzir conteúdo de qualidade na Internet sistematicamente. Não é algo trivial. Vocês são fodas. Eu não sou. E por isso vou continuar tentando desse jeito desorganizado e low profile, vou continuar batendo com a cabeça na parede e vou continuar lidando diariamente com meus monstros. Só espero que as redes não me façam ainda mais mal do que já vem fazendo. Está difícil aguentar

2 comentários sobre “Parabéns aos que Conseguem Produzir Coisas de Qualidade

  1. Oi Leo! Nunca comentei aqui, mas te sigo lá no twitter. Rede social é um negócio terrível né? Eu tinha (ainda tenho na verdade) um blog na época que os blogs ainda eram famosos e as pessoas ganhavam muito dinheiro com isso, antes de migrarem pro insta, e me sentia horrível por não conseguir transformar aquilo numa fonte de renda. Era um espaço que eu tinha e me fazia bem mas virava um peso esse negócio de ganhar dinheiro, produzir conteúdo, postar com frequência e todas essas coisas que as redes exigem. Aí cheguei em um momento que eu precisava escolher entre continuar escrevendo mesmo sem ganhar nada ou abandonar tudo, pq a pressão era muita. Decidi continuar escrevendo assim mesmo sem esperar muito em troca, nem mesmo divulgar eu divulgo, pq sempre que eu comentava com alguém sobre o assunto as pessoas me perguntavam pq eu não tava rica com isso rsrs. Depois fui notando que é uma minoria que realmente consegue tirar renda disso e que essa minoria, por mais que esteja muito atarefada, tem uma estrutura que nem todo mundo tem. Seja uma condição financeira melhor de investir em um terceiro pra administrar as redes, seja estrutura mental mesmo de aguentar a pressão. Além disso tem o fator sorte e que as redes não são pra todo mundo, por mais que a gente acredite que seja questão de esforço. Enfim, é uma situação complicada, e espero que você consiga encontrar a solução

    Curtir

    • Obrigado de verdade pelo comentário e pela sua preocupação. É uma droga mesmo, a gente se sente moído, destruído, com a sensação de que tudo o que a gente fez não vale nada. E eu não queria me sentir assim.

      Mas um abraço imenso em você, Marina.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s