Variante Omicron: Não se Assuste

O mundo está assustado com o surgimento de uma nova variante do coronavírus na África do Sul, que a OMS chamou de Omicron e que tem mais de 50 mutações em relação ao vírus original. Um dado em específico saltou aos olhos: a rapidez do contágio da nova variante, que rapidamente se tornou prevalente na África do Sul.

Gráfico_FT
Rapidez da Nova Variante: se tornou prevalente em quinze dias

No entanto, esses dados precisam ser colocados em contexto, para evitar alarmismos exacerbados. Ninguém está falando que a situação não é grave ou que ela não requer cuidados. Mas é preciso ler o contexto.

1) A África do Sul estava em seu momento mais “tranquilo” da pandemia: pela primeira vez desde o início da pandemia, a África do Sul está registrando médias de menos de mil casos diários da doença. Nos demais países, os registros ainda são de casos isolados de pacientes vindos da África do Sul ou de outros países, como o Egito. Embora haja prevalência da Omicron no país, isso ainda não significou grande aumento de casos, como podemos ver no gráfico a seguir. As outras variantes surgiram no meio de outros surtos. Enfrentaram concorrência e demoraram mais para se estabelecer. Isso não ocorreu com a Omicron.

Curva de casos na África do Sul. Após três ondas, os níveis são os mais baixos desde o início da pandemia

2) A África do Sul ainda tem poucos vacinados: embora o avanço da Omicron não seja muito rápido, ele ainda é mais rápido na África do Sul do que seria em outros países, por um motivo simples: apenas 23,51% da população do país tem o ciclo vacinal completo. Isso obviamente torna o país mais vulnerável a variantes do tipo, fazendo com que elas se espalhem mais rapidamente do que em países em que a vacinação está mais avançada. Fica o alerta para os países ricos de fornecer subsídios para que a vacinação também avance com velocidade na África.

África do Sul: 23,51% da população totalmente vacinada

3) Ainda não houve impacto no número de mortes: embora a variante seja recente, era de se esperar que houvesse um aumento expressivo no número de mortes, mas isso felizmente não ocorreu ainda. O número de mortes ao dia na África do Sul segue em menos de uma pessoa a cada milhão de habitantes. No caso

Mortes diárias na África do Sul seguem em menos de uma a cada cem mil habitantes

4) Não se sabe se as vacinas funcionam contra essa variante, mas elas provavelmente funcionam sim: o único caso público detectado entre já vacinados foi o se um homem de 36 anos que testou positivo ao desembarcar em Hong Kong, vindo da África do Sul, mas não apresentou sintomas. Ele tinha tomado duas doses da Pfizer. Ainda é preciso novos casos para saber se há um padrão, mas, se houver, isso significa que as vacinas continuam funcionando contra hospitalizações e casos graves. O que é corroborado pela fala do próprio Ministro da Saúde da África do Sul:

Conclusão

Toda notícia do tipo demanda cuidado. É preciso continuar alerta. A pandemia não acabou. Mas o Brasil está chegando em 130 milhões de vacinados com esquema vacinal completo. São mais de 60% da população. E, em breve, a vacinação deve se estender para crianças entre 5 e 11 anos de idade. Os casos estão em baixa no país, especialmente nos locais em que a vacinação está mais avançada. A solução para essa variante (e para qualquer outra) é o avanço rápido da vacinação, incluindo doses de reforço. Empresas como a BioNTech, que desenvolveu a vacina junto com a Pfizer, já anunciaram grupos de trabalho para desenvolver vacinas específicas contra a variante Omicron.

Em resumo: cuidado. Mas calma.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s