E se a Copa do Mundo tivesse uma Série B?

Fim das eliminatórias para a Copa do Mundo. Os 32 classificados já são conhecidos, e os 176 eliminados também. As seleções eliminadas não terão muito o que fazer durante o mês de Copa do Mundo, e, por conta própria, resolvem fazer um torneio que congregue mais 32 seleções. Sem o glamour de uma Copa do Mundo, mas com meia dúzia de estádios sem nenhuma intervenção, em um país sede definido previamente.

Para definir o país-sede, o critério foi simples: qual é o não classificado para a Copa que tem a melhor pontuação no ranking da FIFA em novembro de 2013, quando acabaram as elimiantórias. O @2010MisterChip, jornalista espanhol vidrado em estatísticas, já antecipou:

Ranking da FIFA de novembro de 2013 (via @2010MisterChip)

Ranking da FIFA de novembro de 2013 (via @2010MisterChip)

O único país não classificado para a Copa do Mundo que está entre os 20 melhores do ranking da FIFA é a Ucrânia. O que é uma vantagem, porque o país sediou a Eurocopa em 2012 e já conta com estádios “padrão FIFA” em Kyiv, Lviv, Donetsk e Kharkhiv. Para completar o torneio, também foram usados os estádios de Odessa e Dnipropetrovsk. Sem intervenções, porque esse tipo de coisa é para a “Série A” da Copa do Mundo.

O próximo passo é definir os classificados. Na ausência de condições para uma nova eliminatória, os classificados acabam definidos de acordo com a eliminatória atual. Além do país-sede, são definidos que teremos:

4 países da América do Sul (porque só sobraram 4)

13 países da Europa

5 países da África

5 países da Ásia

3 países das Américas Central e do Norte

1 país da Oceania

A definição desses países foi pela posição nas eliminatórias. Por esse critério, classificaram-se para a “Copa do Mundo B”:

País-sede: Ucrânia

América do Sul: Venezuela, Peru, Paraguai e Bolívia (os 4 países que restam)

Europa: Islândia, Romênia, Suécia, Dinamarca, Sérvia, República Tcheca, Áustria, Hungria, Eslovênia, Israel, Eslováquia, Montenegro e Finlândia (4 segundos lugares que ficaram de fora da Copa do Mundo + 9 terceiros lugares dos grupos das eliminatórias)

África: Egito, Burkina Faso, Etiópia, Senegal e Tunísia

Ásia: Jordânia, Uzbequistão, Omã, Qatar e Iraque

Américas Central e do Norte: Panamá, Jamaica e Guatemala

Oceania: Nova Zelândia

Canadá e Líbano ficaram revoltadas por terem sido eliminadas no saldo de gols para Guatemala e Iraque, e disseram e vão vão organizar uma Série C da Copa do Mundo. A conferir.

Cabeças de chave: para definir os oito cabeças de chave da Copa do Mundo, foi usado o mesmo critério da FIFA: o ranking de outubro de 2013. Pelo ranking, os oito cabeças de chave fora:

Ucrânia (país-sede), Suécia, Dinamarca, República Tcheca, Sérvia, Romênia, Eslovênia e Panamá

Sendo assim, sobraram:

7 países europeus

2 países das Américas Central e do Norte

4 países da América do Sul

5 países da África

5 países da Ásia

1 país da Oceania

No pote 2 foram colocados os 7 europeus restantes e a Venezuela, melhor ranqueada da América do Sul. No pote 3, foram colocados os 5 africanos e os 3 sul-americanos restantes (que não podem cair no grupo da Venezuela. No pote 4, foram colocados os cinco asiáticos, os dois países da Concacaf e a Nova Zelândia. Após o sorteio, os grupos ficaram assim:

Grupo A: Ucrânia, Israel, Tunísia e Uzbequistão

Grupo B: Eslovênia, Áustria, Bolívia e Jamaica

Grupo C: Panamá, Islândia, Egito e Qatar

Grupo D: Suécia, Eslováquia, Senegal e Omã

Grupo E: República Tcheca, Venezuela, Etiópia e Guatemala

Grupo F: Dinamarca, Montenegro, Peru e Iraque

Grupo G: Romênia, Finlândia, Burkina Faso e Jordânia

Grupo H: Sérvia, Hungria, Paraguai e Nova Zelândia

Não teve festa de abertura e nem música-tema com o Ricky Martin porque os participantes acharam uma frescura desnecessária. Para o primeiro dia, estava programada apenas a partida de abertura entre Ucrânia e Tunísia. No entanto, dois dias antes do início do torneio a Tunísia desistiu de participar, quando soube que não poderia recorrer à FIFA pedindo punição ao adversário por escalação de atletas irregulares. Cabo Verde foi chamado às pressas pro lugar. Logo após a chegada, já jogou contra os donos da casa e tomou 2 a 0.

Nas duas semanas seguintes, os grupos foram se definindo. O torneio foi um grande sucesso de público e crítica, a ponto de Ibrahimovic dizer, ao final do jogo contra Omã, que “essa Copa do Mundo é a única que merece ser assistida”. Ao final da primeira fase, os grupos ficaram assim:

Grupo A: A Ucrânia se classificou vencendo os três jogos. Cabo Verde, apesar da derrota inicial, ainda conseguiu a segunda vaga nas oitavas, vencendo o Uzbequistão de virada na última rodada. Israel foi um figurante, perdendo os três jogos.

Grupo B: Eslovênia e Áustria terminaram com sete pontos, mas os austríacos ficaram em primeiro graças à goleada por 6 a 2 aplicada contra a Bolívia, que lhes garantiu melhor saldo. A Bolívia ainda perdeu da Jamaica e amargou a lanterna do grupo (mas já sugeriu que a próxima Copa do Mundo B fosse feita em La Paz)

Grupo C: A Islândia se classificou em primeiro lugar, vencendo os três jogos. O Panamá parecia próximo da segunda vaga, mas tomou dois gols do Egito nos acréscimos e viu a vaga escapar exatamente da mesma forma que ocorreu nas eliminatórias. O Qatar foi o saco de pancadas do grupo.

Grupo D: A Suécia venceu Eslováquia e Omã, mas empatou com Senegal. No confronto direto entre Eslováquia e Senegal, um empate classificou os africanos. E Omã perdeu para todo mundo.

Grupo E: A República Tcheca foi a grande decepção da Copa, perdendo para a Venezuela , que ficou em primeiro do grupo, e para a Etiópia. Ainda empatou com a Guatemala, que também perdeu seus outros dois jogos na competição.

Grupo F: a Dinamarca venceu os três jogos e o Iraque perdeu os três, enquanto Montenegro e Peru empataram no jogo que decidia a segunda vaga, na última rodada. O Peru passou de fase porque tinha um gol a mais de saldo que Montenegro.

Grupo G: a Romênia também decepcionou, empatando seus três jogos na competição. Burkina Faso terminou o grupo em primeiro, vencendo seus demais jogos. E a Finlândia conseguiu a segunda vaga ao ganhar da Jordânia

Grupo H: o Paraguai venceu os três jogos e a Nova Zelândia não mostrou o mesmo fôlego da Copa de 2010, perdendo os três jogos. A Sérvia bateu a Hungria na decisão pela segunda vaga do grupo.

Oitavas de Final:

Ucrânia x Eslovênia: em um jogo tranquilo, com o estádio de Kyiv lotado, a Ucrânia fez 3 a 1 na Eslovênia e passou para as quartas de final sem maiores sustos.

Áustria x Cabo Verde: a seleção de Cabo Verde surpreendeu os austríacos e, com uma enorme atuação de Vózinha, venceram por 1 a 0, com um gol de Platini.

Islândia x Senegal: com um gol de Finnbogason, os islandeses se beneficiaram do frio incomum em Dnipropetrovsk naquela época do ano (fazia 7 graus na hora do jogo) e passaram para as quartas de final.

Suécia x Egito: Ibrahimovic fez dois gols, mas Aboutrika fez três, e Ibrahimovic voltou a achar que nenhuma Copa do Mundo valia a pena.

Venezuela x Peru: no clássico sul-americano, a viñotinto saiu na frente, mas o Peru virou com dois gols de Guerrero, para a alegria dos 25 corinthianos que viajaram para a Ucrânia.

Dinamarca x Etiópia: depois de uma primeira fase surpreendente, a Etiópia não foi páreo para a Dinamarca e perdeu com dois gols de Krohn-Delhi.

Burkina Faso x Sérvia: a torcida sérvia já tinha causado incidentes no jogo contra a Hungria e foi impedida de entrar no acanhado estádio de Odessa. Sem o apoio da torcida, os sérvios perderam para Burkina Faso, com um gol de Pitroipa.

Paraguai x Finlândia: o jogo terminou 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação, provocando sono nos presentes ao estádio de Kharkhiv. O Paraguai ganhou nos pênaltis após Forsell isolar sua cobrança.

Quartas de Final:

Ucrânia x Egito: Aboutrika fez um gol, mas a Ucrânia virou com gols de Devic e Konoplyanka, levando a torcida ao delírio e a seleção às semifinais. Após a partida, Mohammed Aboutrika anunciou o encerramento da carreira.

Cabo Verde x Islândia: em um confronto surpreendente, os tubarões azuis mostraram muita força e seguraram o time islandês, mesmo com as expulsões de Babanco e Ryan Mendes, no segundo tempo. Nos pênaltis, Vózinha brilhou novamente e os caboverdianos se garantiram na semifinal.

Peru x Paraguai: no segundo clássico sul-americano seguido do Peru, o time não teve o mesmo sucesso do primeiro. Após mais um empate em 0 a 0, o Paraguai bateu o Peru nos pênaltis, e o vilão foi Guerrero, que se inspirou no companheiro de time Alexandre Pato na hora da cobrança decisiva.

Dinamarca x Burkina Faso: os dinamarqueses eliminaram a segunda seleção africana consecutiva após um gol confuso, em uma rebatida na grande área, marcado por Bendtner, que lembrou o gol que eliminou Burkina Faso da Copa do Mundo “A” contra a Argélia.

Semi-finais:

Ucrânia x Paraguai: os paraguaios conseguiram a vaga na final nos pênaltis, decepcionando a torcida local, ao segurar o terceiro empate por 0 a 0 consecutivo. Iarmolenko e Gusiev desperdiçaram as suas cobranças, lembrando o Brasil na Copa América de 2011.

Dinamarca x Cabo Verde: mesmo com o time destroçado, Cabo Verde conseguiu a vaga na final em uma reação histórica. A Dinamarca abriu 2 a 0 com Bendtner e Rommedahl, mas Platini diminuiu aos quarenta do segundo tempo, e, já nos acréscimos, Fernando Varela empatou o jogo, de cabeça. Na prorrogação, Platini marcou novamente, garantindo os tubarões azuis na final.

3º lugar

Ucrânia x Dinamarca: os dinamarqueses estavam claramente nem aí para a partida enquanto a Ucrânia queria dar um prêmio de consolação para sua torcida. O resultado: 5 x 0 Ucrânia, com todos os gols no primeiro tempo e a torcida gritando olé (seja como for um grito de olé em ucraniano) até o fim do jogo.

Final

Cabo Verde x Paraguai: o jogo caminhava para mais uma disputa de pênaltis. O Paraguai segurava o 0 a 0, sem nenhum interesse em fazer gol. Mas, aos 14 minutos do segundo tempo da prorrogação, Vózinha cobrou uma falta pra área do campo de defesa, Fernando Varela escorou a bola e Babanco, que havia cumprido suspensão contra a Dinamarca, empurrou a bola pro gol do título dos tubarões azuis. Depois de ser injustiçado com uma eliminação da Copa do Mundo no tapetão, Cabo Verde se redimia e era campeão da Série B da Copa do Mundo.

Consequências

O sucesso do torneio, que teve média de público superior à da Copa do Mundo por conta dos preços baratos, chamou a atenção da FIFA. Cabo Verde queria fazer um jogo para decidir o “verdadeiro campeão mundial” contra o Uruguai, que havia vencido o Brasil novamente na final da Copa do Mundo, como já havia ocorrido em 1950. Oscár Tabaréz gostou da ideia, mas a FIFA vetou por achar que “ia tirar o valor da Copa do Mundo”.

Foi o estopim para uma revolta generalizada. 187 federações assinaram a desfiliação da FIFA no mesmo dia, fundando uma nova federação de futebol, e não puseram nenhuma sigla na federação porque acham que é frescura. Virou só “federação de futebol” mesmo.

Cabo Verde e Uruguai jogaram e empataram em 2 a 2, no Estádio Centenário. Decidiram nem disputar os pênaltis, afinal todo mundo que estava ali já era vencedor. Usaram o gramado do estádio para fazer um monte de bois no rolete e alimentar todo o público presente.

A FIFA, sem as federações filiadas, sugeriu que as Copas do Mundo de 2018 e 2022, na Rússia e no Qatar, fossem de beach soccer. Os países ficaram de analisar, mas estão inclinados a aceitar a proposta.

40 comentários sobre “E se a Copa do Mundo tivesse uma Série B?

    • Faz parte da UEFA porque desde quando Israel começou a jogar profissionalmente alguns países árabes se recusam a jogar contra

      Curtir

      • Ah, tá! Quer dizer que se a América Latina se recusar a integrar o Brasil em algum aspecto sócio-político pelo fato de sermos o único país falante de língua Portuguesa do continente podemos nos considerar Europeus e querer participar da comunidade Européia? É o cúmulo da hipocrisia!

        Curtir

      • Acho que o cidadão aí nao entendeu que é por questões de conflitos históricos que Israel está na disputa européia, hipocrisia é nao pensar um pouco e tentar entender esse “pequeno” detalhe.

        Parabéns ao autor pelo texto, ótimo e criativo.

        Curtir

      • O cidadão aqui entende muito bem de firulas políticas e a incapacidade de Israel em se dar bem com seus vizinhos por razões óbvias e conhecidas de pessoas bem informadas. Querer bancar o diferente não é a solução. Por que não procuram o caminho da paz? Mas isto , para eles, é tão absurdo quanto a realização de uma copa de futebol da série B.

        Curtir

  1. Copa do Mundo do Futebol Alternativo. Aboutrika e Babanco > Messi e Cronaldo. E vale a ressalva: faltou o País de Gales aí. Não pelo Bale, mas pelo Giggs, que encerrou a carreira sem garantir uma participação em Copas, mesmo que seja a Copa B.

    Na Copa do Mundo C, realizada no Canadá, País de Gales venceria a seleção da Catalunha nos playoffs e Giggs levantaria o caneco.

    Curtir

    • Faltou País de Gales porque eles não conseguiram ficar nem em 3º no grupo deles nas eliminatórias. Mas na Série C eles seriam favoritos mesmo.

      Curtir

  2. Uhuahuahua que é isso, pessoal? Rep. Tcheca levava essa fácil, rsrsrs. Antes de ver os resultados, fiz rapidamente uma projeção mental e minha final dava Rep. Tcheca X paraguai :P.

    Post divertidíssimo

    Curtir

  3. Fantástico o texto!! Mas inicialmente o Líbano foi eliminado querendo até formar a Copa do Mundo C, e depois ele aparece no grupo F.

    Curtir

  4. Ainda dá tempo de cancelar a Copa do Mundo e fazer a Série B aqui no Brasil? Compro ingresso para todos os jogos!

    E nenhuma seleção da Série B — talvez a Suécia? — esperneará como este clube aqui o fez, trinta e poucos anos atrás? Poderia usar o mesmo pseudoargumento: “Esse critério é um absurdo! Incluir uma seleção que somente agora chegou à Copa do Mundo (Bósnia) e deixar de fora a Suécia?”

    Curtir

  5. legal e criativo, mas achei “uma puta falta de sacanagem” você dar o título a Cabo Verde após este entrar no campeonato “no tapetão”. =P me deu até vontade de fazer um post no meu blog no mesmo estilo, mas com a Hungria campeã (apesar dos 16 gols do matador Sigþórsson).

    Curtir

  6. O cara só esqueceu de que ficou um segundo colocado de fora da repescagem. Acho que foi a Turquia (sei lá). E ele não classificou esse segundo colocado de chave em detrimento de todos os terceiros.

    Curtir

    • O pior segundo foi a Dinamarca, que tá incluída na competição. A Turquia nem ficou em terceiro na sua chave pra ser incluída

      Curtir

  7. Pingback: Copa do Mundo Série C | Geobola

  8. Pingback: A criação da LIFA e a Copa do Mundo Série C. Brasil 2014 | Geobola

  9. Pingback: A Criação da LIFA e a Copa do Mundo Série C Brasil 2014 | Geobola

  10. Ô, Leo, desbloqueia lá seu perfil de Twitter. Gosto de muito do que você fala, mas não tenho conta no microblog (e nem quero ter). Seus tweets sobre humanismo e cidadania são dos poucos que ainda valem ler naquele site.

    Curtir

  11. Pingback: AS SETE DIVISÕES DA COPA DO MUNDO | SÉRIE Z

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s