A Teoria Senna-Santana de inversão da polaridade do futebol mundial

Esse é um daqueles textos que revelam a verdade histórica sobre o futebol mundial. Preste atenção em todas as evidências e compreenda como tudo tem uma lógica própria e bem definida.

Por algum motivo ainda não esclarecido pelos deuses do futebol (ou Aliens, para Giorgio A. Tsoukalos), mas certamente ligado ao apocalipse maia, aos Illuminatis e aos reptilianos, houve uma inversão na polaridade do futebol mundial. Uma inversão que durou exatos 1745 dias, remetendo ao ano de nascimento de Alessandro Volta, o inventor da pilha elétrica, primeira construção humana baseada em pólos inversos entre si.

Basicamente, o enunciado da teoria diz que a polaridade do futebol mundial foi invertida em 29 de junho de 2008 e voltou ao normal em 09 de abril de 2013. De forma simbólica, é necessário frisar os dois maiores expoentes dessa inversão:

A Espanha, que historicamente é uma espécie de pólo negativo do futebol mundial, um time do qual sempre se esperou muito e que nunca correspondeu às expectativas.

A Alemanha, que historicamente é uma das principais seleções do futebol mundial, já participou de 18 Copas do Mundo e é conhecida por conseguir vitórias contra esquadrões “imbatíveis”, como a Hungria de 1954 e a Holanda de 1974.

Além dos dois países, há uma terceira nação envolvida: o Brasil, mundialmente conhecido como O PAÍS DO FUTEBOL. O pressuposto da teoria diz que através de um jogador brasileiro a polaridade do futebol mundial se inverteu e através de um jogador brasileiro a polaridade do futebol mundial voltou ao normal.

Agora, prestem atenção à teoria. Cada detalhe dela é importante:

Momento 1: a inversão de polaridade – 29 de junho de 2008

Espanha e Alemanha, os dois principais países envolvidos na teoria, decidiam a Eurocopa. Apesar dos espanhóis terem um ótimo time, a lógica e a história do futebol diziam que eles perderiam da Alemanha. Só que, no meio do caminho, abriu-se uma fenda no espaço tempo, e surgiu um brasileiro:

Repare bem aos 21 segundos do vídeo. É aí que a história é reescrita, que a polaridade se inverte. Quem foi o gênio criativo e de raça que iniciou a jogada do gol decisivo espanhol? Isso mesmo, o brasileiro Marcos Senna. Naquele toque para Xavi, recheado de mágica, observado com um sorriso de canto de rosto pelos deuses do futebol , a Espanha assumia o lugar histórico da Alemanha e a Alemanha assumia o lugar histórico da Espanha no futebol mundial. Mais do que isso: a polaridade do futebol mundial se invertia. As coisas estavam todas fora do lugar.

Momento 2: a polaridade invertida – de 2008 a 2013

A polaridade invertida do futebol, em escala mundial, começou a gerar consequências em todo lugar. Vamos enumerá-las:

1) O Barcelona se impôs na Espanha e na Europa como nunca antes. E serviu de base para a seleção espanhola. Curiosamente, até então, a base da seleção espanhola sempre teve mais jogadores do Real Madrid, também pelo fato do Barcelona ser historicamente mais propenso à contratação de jogadores estrangeiros. Especialmente holandeses.

2) A Copa de 2010 foi o símbolo maior da inversão de polaridade no futebol mundial. Os sintomas estavam ali, mas a constatação veio apenas no final da Copa do Mundo. Reparem bem:

a) A única seleção que terminou a Copa do Mundo invicta foi a da Nova Zelândia, o país do Rugby. Com três empates. Ajudando a eliminar a Itália tetracampeã mundial, que na Copa de 1982 havia se classificado para a fase seguinte com três empates. Era um aviso claro, um tapa na nossa cara, só não percebia quem não quisesse: o futebol estava de ponta-cabeça.

b) Chegaram às semifinais as duas seleções mais copeiras da história das Copas do Mundo (Alemanha e Uruguai) e as duas seleções que mais entregavam a rapadura da história do futebol mundial (Espanha e Holanda). A lógica e a história do futebol diziam que Alemanha e Uruguai deveriam passar. Passaram Espanha e Holanda para a final.

c) Numa final entre essas duas seleções a aposta óbvia era a Holanda. Afinal a seleção holandesa já havia estado em duas finais de Copa do Mundo, e era a segunda seleção que mais borrava as calças na hora da decisão (atrás da Espanha). O final, todos sabem. Gol de Iniesta e Espanha campeã.

d) A inversão de polaridade é tão nítida que a Espanha não apenas foi campeã do mundo: foi a primeira seleção européia a ganhar uma Copa do Mundo disputada fora da Europa.

3) Começaram a acontecer loucuras no futebol em todo o mundo. O ano de 2012 foi emblemático nelas:

a) A seleção da Zâmbia ganhou a Copa Africana de Nações. Vencendo a favorita Costa do Marfim. No Gabão, lugar em que, 19 anos antes, a promissora seleção do país foi dizimada em um acidente aéreo (para saber mais sobre o assunto, leia aqui)

b) Foi quebrada uma das tradições mais bem estabelecidas do futebol mundial: a de que um time de Londres nunca seria campeão da Champions League. Pois o Chelsea foi. Vencendo quem? O Bayern de Munique, que já havia perdido a final de 2010 para a Internazionale de Milão. Com certeza, os bávaros foram a maior vítima da polaridade invertida no futebol.

c) O Corinthians, time historicamente conhecido pelo desempenho pífio em torneios continentais, foi campeão da Copa Libertadores da América. De forma invicta. Batendo o então campeão (Santos) e o time historicamente mais temível da América do Sul (Boca Juniors). E ainda ganhou o Mundial de Clubes em dezembro, batendo o Chelsea com gol de um peruano (o que não quer dizer nada, mas torna a história mais multinacional).

d) Se a Espanha historicamente é o time que mais entrega a rapadura em momentos decisivos entre os times do “centro” do futebol mundial (Europa e América do Sul), o México tem essa mesma fama entre os times da “periferia” do futebol mundial. Mas o México ganhou uma Olimpíada. Vencendo o Brasil na final, de forma incontestável.

e) O Taiti contrariou todas as expectativas e se classificou para a Copa das Confederações, ao vencer o campeonato continental da Oceania (a OFC Nations Cup)

Momento 3: 09 de abril de 2013 – a polaridade volta ao normal

O confronto, novamente, era entre alemães e espanhóis. Borussia Dortmund e Málaga disputavam uma vaga na semifinal da Champions League. Depois de um empate no jogo de ida, o Málaga, de forma surpreendente, vencia o Borussia Dortmund e comprovava a inversão de polaridade no futebol mundial. Mas o time de Jurgen Klopp sabia que a polaridade do futebol mundial estava invertida, e utilizou-se da mesma arma original dos espanhóis para colocar as coisas no lugar: um brasileiro.

Era improvável. Era inacreditável. O gol de empate tinha saído um minuto antes, já nos acréscimos. Mas Jurgen Klopp mandou o zagueiro Felipe Santana pro ataque, como mais um centroavante. Foi estabanado. Estava impedido. O zagueiro tentou tirar. Mas no final, a bola entrou. O Borussia Dortmund se classificou. E ali, naquele momento, o desespero dos jogadores do Málaga denunciava não apenas que o time estava eliminado, e sim que a polaridade do futebol mundial tinha voltado ao normal.

Goal

Felipe Santana comemora a volta ao normal da polaridade do futebol mundial (Fonte: http://www.dibico.com)

Momento 4: as consequências da polaridade normal

Após o dia 09 de abril de 2013, em que a polaridade do futebol mundial voltou ao normal, muitas coisas aconteceram. Todas elas simbólicas. É bom enumerá-las:

1) Entre 23 de abril e 1º de maio, tivemos duas semifinais européias entre times espanhóis e alemães. Os dois times alemães passaram. O Borussia Dortmund eliminou o Real Madrid, enquanto o time símbolo da polaridade invertida, o Barcelona, foi humilhado pelo Bayern de Munique com 7 a 0 no placar agregado.

2) Em 15 de maio, Corinthians e Boca Juniors se encontraram novamente por um mata-mata de Copa Libertadores. Com o fim da inversão da polaridade, os argentinos eliminaram o Corinthians da competição, como já se esperava deles em 2012.

3) Na Copa das Confederações, o Taiti perdeu seus 3 jogos: 6 a 1 para a Nigéria, 10 a 0 para a Espanha e 8 a 0 para o Uruguai. Se a polaridade ainda estivesse invertida, faria a mesma coisa que a Nova Zelândia na Copa do Mundo de 2010: empataria seus três jogos e terminaria o torneio como a única seleção invicta.

4) 30 de junho de 2013. Brasil e Espanha acertam as contas, após um brasileiro inverter a polaridade do futebol à favor da Espanha e outro brasileiro fazer com que a polaridade volte ao normal. No Maracanã, um templo histórico do futebol, a história acerta as contas e prova que, no futebol, tudo voltou ao normal: Brasil 3 x 0 Espanha, com o estilo de jogo espanhol sufocado e uma sensação de estupefação em escala global semelhante a sentida dois meses antes, quando o Bayern de Munique massacrou o Barcelona em dois jogos.

Conclusão

Tudo o que aconteceu no futebol mundial nos últimos cinco anos, depois de 29 de junho de 2008, é decorrência óbvia dessa grande teoria que transformou radicalmente o paradigma do futebol mundial. Estamos falando, obviamente, da A Teoria Senna-Santana de inversão da polaridade do futebol mundial, que tem esse nome em homenagem aos dois brasileiros nomeados pelos deuses do futebol para mudar toda a história do esporte: Marcos Senna e Felipe Santana.

Não há explicação melhor ou mais completa que essa. Mas a grande notícia é essa: o paradigma do futebol voltou ao normal. E todos podem usar novamente as mesmas piadas usadas até 2008. Porque tudo o que ocorreu entre 2008 e 2013 talvez não ocorra nunca mais.

152 comentários sobre “A Teoria Senna-Santana de inversão da polaridade do futebol mundial

    • Se tudo ocorrer como o texto acima diz, o futebol voltou ao normal, e o SPFC será campeão da RECOPA, da SULAMERICANA mais uma vez, do BRASILEIRÃO, e da LIBERTADORES 2014! HAUHAUHAUAHU

      Curtir

      • Se o futebol voltou ao normal, então o são paulo não vai precisar nem passar o CPF pro corinthians nessa recopa, pois já sabemos de cor! hauahaua

        Curtir

  1. Muito boa A Teoria Senna-Santana (TSS). Mas qual a garantia que os espanhóis não usem novamente a formula de inversão de polaridade do futebol mundial? Qual seria a chave? Thiago Alcântara! Sim, e talvez uma nova inversão se estabeleça e quem sabe mais duradoura! Poderia discorrer mais sobre a maldição do São Paulo?

    Curtir

  2. Beleza, só vi dois erros na teoria: Jurgen Klupp, era técnico do Bayern, e não do Borussia. O outro é que desde quando o Barça é um time que historicamente faz contratações enquanto Real quem revela jogadores ? Ta loco ? Galáticos meu amigo… Ronaldo, Roberto Carlos, Zidane, Figo, Beckham… Todos eles revelados no Real Madrid ?

    Curtir

    • Não, cara, o técnico do Bayern era o Jupp Heynckes. E quando eu digo “historicamente” estou relembrando que o Barcelona mais bem sucedido antes do atual foi o “holandês do início da década de 90.

      Curtir

      • Concordo com o Léo, tanto que o Barcelona antes das contratações holandesas e do Hristo Stoichkov nos anos 90, sequer tinha ganho uma Champions League, e o Real Madrid sempre foi a base do futebol espanhol

        Curtir

    • quer dizer que nunca mais vamos ganhar uma liberta ? por que o cap nunca vai ganhar mesmo kkkkk nos estamos ferrado so chamando um exorcista mesmo

      Curtir

    • Não há qualquer suspeita sobre a final de 2005.
      A questão é simples. Na época, o estádio do Atlético-PR não comportava uma final de Libertadores, já que o regulamento era claro quanto à capacidade exigida para os jogos das finais.
      Então, tentou o Atlético-PR forçar a barra montando arquibancadas improvisadas muito às pressas, o que evidentemente não foi aceito pela Conmebol. Imagina a responsabilidade entulhar uma multidão numa arquibancada provisória montada às pressas para uma final.
      A verdade é que fez muito bem em não permitir tal coisa.
      Outro fato é que, se o Atlético-PR tivesse time suficiente, levaria o título. Não soube ganhar o jogo de ida no Beira Rio, onde tinha maioria em torcida, e o jogo de volta foi aquele chocolate.
      Desculpas. Os perdedores sempre criam desculpas.

      Curtir

      • Nas fases anteriores houve casos semelhante em que a Conmenbol autorizou a construção às pressas de tubulares. A torcida do Internacioanal, por terem certa afinidade com o São Paulo e pelo número de libertadores do Grêmio, apoiou amplamente o São Paulo, sendo que o Furacão jogou os dois jogos fora de casa praticamente. A única coisa que concordo com você é que aquele time do São Paulo realmente era melhor que o do Atlético. Apenas ressalvo, que nem sempre o melhor time ganha e o Furacão é muito forte jogando em casa, basta ver que o São Paulo NUNCA ganhou do Atlético na Baixada. Se não fosse isso, poderiamos ter sido campões. Mas a história é outra e so São Paulo conquistou aquele título.
        Abraço

        Curtir

  3. Pingback: Maracantazo | Mais Que Isso

  4. Fazia tempo que eu não lia tanta imbecilidade junta. No final, falar que é normal o Barcelona perder de 7×0 num placar agregado foi pra fechar com chave de m…

    Curtir

  5. Esse historicamente tá bem errado. O barcelona historicamente é um clube produtor. Teve no fim dos anos 80 até o início dos 00 como importador. Mas a teoria é bem engraçada. A parte relacionada ao corinthians faz muito sentido.

    Curtir

  6. Corinthians e Boca foi ROUBADO! O Primeiro Gol do ROMARINHO não estava impedido! E foi mão do Jogador do Boca Juniors com 20 e poucos minutos!

    Curtir

  7. Sinceramente, discordo de tudo o que vc disse…

    Não acredito que tenha existido uma inversão de polaridade, uma vez que nem acredito que o futebol seja regido por algum tipo de mistica(pois, tratar a Espanha e Holanda como amareloes SEMPRE e Alemanha SEMPRE como vencedora é acreditar que existe alguma força externa que mantém essa sequencia)…

    Eu acredito que o futebol esteja (finalmente) sendo tratado como um objeto de estudo e os europeus estão desenvolvendo muito bem esse estudo (coisa que aqui, só é tratado como o cara nasce jogando por isso é bom)…

    Desenvolvimento das teorias de treinamento e preparação física (levadas a serio… Fergunson ficou incontáveis anos no Manchester) desenvolvem atletas mais completos e versáteis. Por isso o Brasil sempre tem boas seleções… por que todos os nossos atletas estao em treinamento EUROPEU…

    creio q polaridade e inversao de polaridade eh uma desculpa esfarrapada e ridicula para que o futebol continue sendo tratado como algo natural do brasileiro, qnd na verdade deveria ser estudado com afinco e dedicacao!

    Curtir

  8. Só um adendo, o corinthians foi garfado de forma vexatória. Algo que ainda estaria de maneira invertida por que pela lógica do futebol, nós somos os ladroes de tudo.

    Curtir

  9. Ou seja, os times do rio de janeiro com tanto sucesso em ambito nacional foi fruto desta inversão, provavelmente o flamengo vai passar mais 17 anos sem brasileiros e fluminense mais 26. ( sou carioca). Será que a espanha conseguirá a proeza de ser eliminada na primeira fase da copa do mundo, se voltou ao normal o Brasil estará fudido… Perderá na copa pra frança, Itália ou Argentina…. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk! Piadas a parte…. Vc tornou a teoria quase parecer crível elucidando fatos e enumerando causos, parabéns…

    Curtir

    • Miranda, vc demorou 10 minutos para ler isso??/ Vc devia pedir todo o dinheiro gasto em educação em vc de volta… Retardado…

      Curtir

  10. Para confirmar sua teoria, é necessário que o Atlético-MG não vença a Taça Libertadores de 2013. Caso contrário, ficará comprovado que este intervalo no caos foi meramente temporário.

    Curtir

  11. Esqueceu um fato gritante!! Desde 2009, o melhor jogador de futebol do mundo eh ARGENTINO……

    #os Deuses devem estar loucos

    Que a verdadeira hierarquia do futebol seja restaurada ja!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Curtir

  12. Pingback: Anônimo

  13. Excelente texto. Sugiro ao autor uma análise detida sobre o ano de 2004, que certamente representa uma espécie de fenda no processo de longo prazo retratado e que serve de pano de fundo para a polaridade do futebol europeu e mundial. Em 2004, o São Caetano foi campeão paulista, o Santo André levou a Copa do Brasil, o Valência levou o espanhol, Grécia levou a Euro e a final do mundial foi disputada entre Once Caldas e Porto. Afinal de contas, o que aconteceu?

    Curtir

  14. Muito boa a análise. Não esqueçamos que nela se pode encaixar o título da Libertadores de Celso Roth e, talvez, o fato Mazembe, ambos em 2010.

    Curtir

  15. hahahahahahahahahahahahhaahahahah
    Que viagem!
    O único erro foi falar que a Seleção do Taiti seria a única invicta na Copa das Confederações, caso a Polaridade estivesse invertida.
    O Brasil foi (e seria) campeão invicto (com a polaridade ‘desinvertida’. Ou invertida?).

    Curtir

  16. Enfia todo esse misticismo naquele lugar seu babaca… futebol se ganha jogando e não polarizando… tu é um BURRO mesmo… vá escrever quadrinhos OTÁRIO e deve ser um bambi São Paulino ainda… VAI CORINTHIANS… BICAMPEÃO MUNDIAL DA FIFA

    Curtir

    • Não dá pra encaixar o Flamengo nessa, já que em 2010 e 2012 brigou contra o rebaixamento também. O Fluminense se encaixaria bem melhor na teoria, já que era sempre um quase G4 nos anos 2000, e nesse período de inversão, venceu 2 vezes o Brasileirão e terminou em 3º uma vez.

      Curtir

  17. Sim, a nível de curiosidade, a fenda no espaço tempo foi causada por reptilianos. É de conhecimento geral que os reptilianos fazem esse tipo de experiência há mais de cem mil anos. Há um detalhe importante que fora esquecido. Quando o Felipe Menezes fez o gol e reverteu a polaridade do futebol ao seu estado normal, não significou que o seu efeito tenha tido um alcance imediato, na verdade, a reversão acontece de forma progressiva, gradual, ela ainda está em andamento, o que significa que nós ainda podemos ter exemplos de polaridade anormal no mundo futebolístico. É por isso que essa parada para a Copa das Confederações foi prejudicial ao Atlético Mineiro, quanto mais tempo passar menos a chance do clube se beneficiar com os efeitos da reversão.

    Curtir

  18. Com a polaridade do futebol de volta ao normal, é óbvio que o campeão da Libertadores será o único time de tradição remanescente, o Olímpia, e no Brasileiro já podemos excluir o Fluminense da disputa pelo título.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s