Por que é necessário barrar a “bancada evangélica”

“Bancada evangélica” é o nome que se convencionou chamar um grupo político apócrifo, representante de interesses neoconservadores, que usam o nome de Deus para justificar todo tipo de atrocidade.

Hoje essa bancada é composta por 63 deputados e 3 senadores. O interesse dessa bancada, de base neopentecostal, que surgiu como uma frente parlamentar, era o de, inicialmente, garantir direitos aos evangélicos enquanto classe, minoria ou algo do tipo.

Mas vamos aos fatos:

1) “Evangélicos” não são uma classe:

A religião Cristã é uma opção de vida pessoal, e convencionou-se chamar os protestantes brasileiros de “evangélicos”.

Quem conhece a história do protestantismo brasileiro sabe que existem pelo menos três grandes grupos protestantes que acumulam mais diferenças do que semelhanças entre si: os protestantes tradicionais, os pentecostais e os neopentecostais. E cada um desses grupos se divide em muitas denominações eclesiásticas.

As igrejas protestantes tradicionais, descendentes diretas da Reforma Protestante, estão oficialmente no Brasil desde o século XIX. Muitos missionários de base luterana e calvinista implantaram igrejas no Brasil como as Batistas, Luteranas, Metodistas e Presbiterianas. A vinda de imigrantes, especialmente alemães, contribuiu para o crescimento dessas igrejas, mais concentradas no sul e no sudeste do país em seu momento inicial. Seus pressupostos religiosos coincidiam, na época, com os defendidos pelos reformistas dos séculos XVI e XVII.

As igrejas pentecostais, por sua vez, foram implantadas no Brasil no início do século XX, pouco tempo depois do início do movimento pentecostal nos Estados Unidos, na Rua Azusa. Em 1910, Gunnar Vingren e Daniel Berg, oriundos da Suécia, fundaram a primeira igreja pentecostal brasileira, que foi o embrião da Assembléia de Deus. Com o tempo, outras denominações foram fundadas, como a Deus é Amor e a Brasil para Cristo. O ideário pentecostal era baseado na ascese como forma de aproximação de Deus e na replicação do Dia de Pentecostes, com o advento do batismo no Espírito Santo como máxima doutrinária.

As igrejas neopentecostais são criações mais recentes. Surgiram no Brasil no final da década de 70, com uma característica de explorar a “sobrenaturalidade” do pentecostalismo descartando a ascese. Isso quer dizer, basicamente, que os neopentecostais buscam um “relacionamento direto” com Deus, mas sem as privações de prazer que são características da Igreja Pentecostal. Com isso, o foco dessas igrejas passa a ser a prosperidade material, em uma renovação radical da ideia puritana de que “o sucesso material na Terra é reflexo de sua boa relação com Deus enquanto as doenças, enfermidades e problemas da vida são frutos de seu pecado”. Na prática, transferem o ônus  da autoridade divina ás circunstâncias cotidianas, através de uma leitura repaginada do protestantismo apóstólico e da reverência à figura quase divina do líder (o apóstolo). Existem diferenças internas entre as denominações. Seus principais representantes são a Igreja Universal do Reino de Deus, a Igreja Internacional da Graça de Deus, a Igreja Mundial do Poder de Deus e a Igreja Apostólica Renascer em Cristo. É o grupo religioso que mais cresce no país.

Obviamente, existem discordâncias inconciliáveis dentre essas correntes, e, para alguns, as igrejas neopentecostais nem poderiam ser consideradas “evangélicas”, por razões teológicas que não devem ser explicadas aqui. Isso só prova que “evangélicos” não são uma classe. Não são uma igreja unificada, como a Católica Romana, ou com poucas dissensões bem definidas, como ocorre com judeus e muçulmanos, por exemplo. São um grupo extremamente diversificado, sem lideranças definidas.

2) Deputados representam apenas as suas igrejas

A maior parte dos 63 deputados e 3 senadores que fazem parte da bancada evangélica são representantes de igrejas neopentecostais. Uma das principais diferenças entre as igrejas tradicionais e as neopentecostais reside no fato de que as as igrejas tradicionais possuem maior organização interna, enquanto as igrejas neopentecostais, com organização interna precária e centralizada na figura do grande líder, comportam-se como empresas. Inclusive em relação à questão do marketing.

É nítido que a grande força das igrejas neopentecostais está em seu poder midiático. Nisso as igrejas apresentam um padrão de marketing muito similar ao marketing político. Com a diferença de que o político quer seu voto, enquanto o representante eclesiástico quer sua fidelidade e sua frequência na igreja todas as semanas.

Por isso a facilidade desses representantes eclesiásticos em ingressar na vida política. Como representantes de igrejas, e não de todo o protestantismo, contando com milhares de votos de fiéis. Afinal, não há melhor forma de conseguir voto do que sendo guia religioso de alguém. Sim, guia religioso, porque é quase consenso que os valores neopentecostais não tem nada a ver com os valores cristãos bíblicos.

E, no Congresso, esses representantes de igrejas isoladas agem unidos. Formam uma BANCADA. Como se fossem uma coisa só. Como se, de fato, representassem alguém. Não são. Não representam. São fruto de um atalho político aliado a uma política de manipulação de fiéis, com um poderio econômico mal explicado, desses que nem vale avaliar a origem, sob pena de entrar em depressão.

3) A “bancada evangélica” prejudica os cristãos

Um bando de líderes conservadores mal preparados, eleitos por fiéis manipulados, assume a posição de BANCADA no Congresso, como se de fato representasse os cristãos. E, se colocando em nome de TODOS os cristãos, defende coisas absolutamente abomináveis e anti-cristãs, como a cura gay, por exemplo. E divulgam isso através de seus meios de comunicação, como VERDADES CRISTÃS. Nesse contexto, prejudicam os cristãos de duas formas:

a) Manipulação da informação: uma característica do protestantismo,em geral, é a adoção da Bíblia como “revelação da Palavra de Deus”. esse caráter de revelação, enfatizado nas igrejas pentecostais e neopentecostais, leva muitos fiéis, especialmente os mais humildes, a um conformismo osmótico.

O conformismo osmótico, nesse caso, significa aceitar não apenas a Bíblia, mas também a palavra de seus líderes, como verdade absoluta, por osmose. E torna essa massa de fiéis suscetível a toda espécie de manipulação da informação. Para esses fiéis, seus líderes são dotados de uma infalibilidade quase papal. E são claramente manipulados. Pois, além de serem falíveis, esses líderes tem interesses políticos conservadores e interesses econômicos. Eles ganham com o conservadorismo e com o “controle” de seus fiéis.

2) O Conservadorismo de alguns macula todo o cristianismo

Ao se assumirem como “bancada evangélica”, esses neoconservadores maculam todo o cristianismo. Por vários fatores:

a) Lutam contra o Estado laico:

Um dos principais fatores que fez o protestantismo florescer no Brasil a partie do finaol do século XIX foi a adoção do Estado Laico, em 1889, por ocasião da Proclamação da República. O Estado Laico foi o responsável pela liberdade de culto, e a liberdade de culto é um dos principais pressupostos para qualquer sociedade séria.

No entanto, eles lutam contra o  Estado Laico. No sentido de que eles se voltam com frequência contra os cultos de origem africana, tentando barrá-los pelas mais diversas justificativas: magia negra, sacrifício de animais, ou puro preconceito mesmo. Vários setores da sociedade já perceberam isso e se mobilizam contra a atuação perniciosa da bancada evangélica.

b) São preconceituosos

Jesus Cristo disse na Bíblia: “não façam acepção de pessoas”. Mas a bancada ebangélica aparentemente não aprendeu essa lição, e são os grandes especialistas em ter preconceito contra os outros. A “cura gay” é um exemplo. Os homossexuais são alvos, assim como as feministas (que defendem o aborto), e todo e qualquer movimento social. Prova disso foi o enorme lobby na eleição de 2010 contra o aborto e o casamento entre pessoas do mesmo sexo, que tirou muitos votos de Dilma Rousseff. Não apenas por oportunismo do Serra: mas porque, de fato, havia uma demanda neoconservadora reprimida, construída em anos de lavagem cerebral disfarçada de amor cristão.

Agora ela aparece toda de uma vez, como uma barragem que se quebra, e temos que lidar com isso.

c) Fisiológicos e Corruptos

A bancada evangélica está mais interessada em cargos do que em propagar a fé cristã. Prova disso é que,para acalmá-los, Dilma deu um MINISTÉRIO para eles. E não é o Ministério de Louvor ou de Intercessão não. É o da Pesca.

Ok, é um ministério pouco relevante. Mas, se o lobby é forte a ponto deles ganharem um ministério, que se organizem em um partido político então. E que lutem por interesses específicos.

Além disso, são acusados constantemente de corrupção. Em 2006, por exemplo, o índice de reeleição da bancada evangélica foi apenas de 25%. O motivo: a maioria dos deputados da bancada tinha sobre si acusações de corrupção.

d) Máculas a fé cristã

A bancada evangélica, ao se posicionar como representante política da fé evangélica, macula a fé cristã. Pois todos os valores que a bancada evangélica defende são vistos pela sociedade como valores de TODOS OS CRISTÃOS. O que é uma mentira absurda.

Se a bancada evangélica odeia gays, todos os cristãos odeiam gays. Se a bancada evangélica defende o machismo, todos os cristãos são machistas. Se a bancada evangélica é racista, todos os cristãos são vistos como racistas. Os valores da bancada evangélica e de uma parcela conservadora de pessoas que estão sob a influência desses líderes religiosos são refletidos para toda a igreja, como se todos pensassem assim.

Conclusão

Antes de qualquer coisa, leia esse aviso.

Em seguida, leia esse texto também. E não crie expectativas.

Mas, principalmente, levante-se contra o “status quo” evangélico. A bancada evangélica, as igrejas que espalham o nome de Cristo como moeda de troca ou promessa de prosperidade, tudo isso tá errado. O amor cristão genuíno se levanta contra isso.

Um dos momentos em que Cristo se mostrou mais revoltado, na Bíblia, foi quando ele flagrou comerciantes atuando no Templo de Jerusalém. Hoje, a bancada evangélica faz o mesmo papel nas igrejas e no Congresso, tornando a fé cristã um artigo comercial, entrando em negociatas, usando o cristianismo como moeda de troca em nome de poder.

Nossa atitude, como cristãos, deve ser a mesma que Cristo teve: devemos nos revoltar contra isso. Devemos nos mobilizar e deixar claro para a sociedade que a bancada evangélica pode representar qualquer coisa, menos os cristãos. Que a bancada evangélica é representante de um bando de interesses escusos, conservadores, que são mais subservientes ao dinheiro do que ao cristianismo.

Que, como cidadãos, nós sabemos que a bancada evangélica atrapalha os interesses do país em temas mesquinhos. E lamentamos MUITO que o atual governo seja subserviente e se curve às vontades desse grupo cuja organização beira a do crime organizado.

É necessário barrar a bancada evangélica. É necessário não apenas que eles não representem mais os cristãos como frente parlamentar. Mas também que eles não sejam mais eleitos. E,para isso, o trabalho deve ser feito não junto aos deputados, que estão afogados em maracutaias políticas. Mas junto ao povo, sensibilizando os cristãos de que NÃO se deve, em hipótese nenhuma, dar o voto para candidatos que se dizem cristãos e não manifestam os verdadeiros valores cristãos, sendo inebriados pelo poder.

188 comentários sobre “Por que é necessário barrar a “bancada evangélica”

  1. Se voce quer saber eu nem pertenço a nenhuma igreja evangélica atualmente. Portanto não tenho placa de igreja para defender nem político de nenhum partido na bancada evangélica para defender, porque não tenho e nem pertenço a nenhum partido e a nenhuma Igreja representada por eles. E graças a Deus que tenho plena conciencia de que são falhos, cheios de defeitos porque são homens e não Deus, porque só adoro e considero perfeitos a Deus e a Jesus. Apenas participo de um grupo que se reúne em casa para orar pregar a palavra e ajudo em trabalhos sociais, com crianças carentes, moradores das ruas, adolescentes perdidos nas drogas e tirá-los das ruas com ocupação, estudo e trabalho para ocupá-los instruí-los em cursos profissionalizantes e evangelizá-los. Agora apoio a bancada evangélica sim porque com todos os defeitos é a única ali dentro que ainda tem compromiso com os valors de Deus com o valores cristãos com a família e enfrentam a tudo e a todos sem medo ou vergonha de serem taxados do que forem em defesa das famílias dos valores e princípios cristãos. Portanto, a minha revolta é porque eu amo sim meu amigo ,amo muito as pessoas e tenho muita cimpaixão no meu coração por elas para ficar indiferente ao estrago e a desgraça que o inimigo de Deus quer fazer a estas pessoas. É LÓGICO QUE TODO MUNDO TEM O DIREITO E A LIBERDADE DE ESCOLHER SEU CAMINHO, mas para escolher é preciso pelo menos conhecer os dois lados e fazer sua opção. E é isso que o diabo não quer. Não quer que eles saibam que teem opções e que existem outras alternativas. E principlmente que existe esperança e possibilidade de mudança sim.

    Curtir

  2. A palavra amor e muito vasta e genérica. Até se mata por amor. Justificando egoisticamente que foi por amor. Agora o amor de Deus não é tão volúvel é um pouquinho mais complicado, é um amor que TAMBÉM admoesta e exorta. Por isso nem todos conseguem ou querem se desgastar exercendo-o. Boa noite e fique com Deus.

    Curtir

  3. Não meu caro. é por causa d ecomportamento como este que as pessoas deixam de acreditar em DEus e na Bíblia.

    EDUCAÇÃO – PROPOSIÇÃO CRISTÃ1 – DEBATE
    Por Gilberto Stêvão
    Muitos nos escrevem sobre uma proposição cristã de ensino. Aproveitamos esta
    contracapa para responder a todos, embora de maneira resumida, constituindo
    apenas um abrir de discussão. Todavia em nosso Impacto n° 4 – “Educação Cristã é
    Nossa Proposição”, apresento o assunto de modo um pouco mais amplo.

    Posicionamos-nos, quanto ao ensino secular diferenciado do Estado, porque olhamos pela ótica da Palavra de Deus. Segundo, a nossa visão, o Estado tem errado em se meter em educação, aliás, o Estado não tem educação nenhuma para ensinar a ninguém. Quem tem educação são os Pais e a Família. A ela e somente a ela compete o dever de transmitir a educação aos seus filhos. A Gênesis dos Céus e da Terra ensinado pela Palavra acaba se chocando com o ensino proposto pelo Estado, por que o Estado passou a exigir para si, o direito de educar as pessoas sob a
    ótica de quem está governando. Há grande dose de ingenuidade quando aceitamos escolarização como educação, como se admite hoje. Note bem, os conhecimentos ministrado no sistema estatal às crianças tem um cunho inteiramente político partidário daquele que governa o Estado. Por exemplo, os que comandam o ensino na ONU, por conseguinte, dominam o ensino no mundo, são inteiramente ateus, materialistas, humanistas, naturalistas e tudo que fugir da sua visão evolucionista deixa de ser educação. Segundo nós entendemos, existem no mundo milhares e milhares de pessoas que passaram por todos os bancos dessa escolarização e até se pós graduaram, mas são desprovidos completamente do que entendemos por Educação. Esta é a maior tendenciosidade existente no sistema educacional proposto pela ONU, onde se procura enfiar garganta a baixo, dos Estado membros, como fazem para o Brasil, todo ódio conta Deus e contra Jesus Cristo.

    Educação não está ligada ao conhecimento das coisas que nos cercam, nem no conhecimento das ciências, mas aos princípios de vida que norteia cada pessoa. Portanto, se uma pessoa tem por principio a fé num ser criador dos céus e da terra, isto refletirá em toda a sua maneira de viver, no seu relacionamento com a família,
    com os amigos, com a sua Pátria, enfim em todo o seu relacionamento. Todos
    aqueles que são escolarizados pelo atual sistema de ensino são formados no ateísmo.
    O ateísmo não nos permite amar o próximo, apenas nos permite amar a nós mesmos, a final, somos o resultado do acaso. Muitos doutorados nesta escolarização admitem a existência de um criador, mas no fundo têm dúvidas da existência desse ser criador. Fato natural, porque este é o objetivo do sistema: Passo a passo da
    vida educacional tirar os valores espirituais, os valores morais e éticos existentes racionalmente em cada ser humano. Não raro, vemos pessoas altamente
    especializadas em conhecimentos seculares buscarem ajuda e proteção em
    religiões fetichistas, onde se crê na existência de um politeísmo ilógico, em
    nada científico, como a crença que as águas do mar vieram do seio de iemanjá. No
    fundo da questão o ser humano tem uma necessidade de crença em um ser criador.
    Nos Estados Unidos esta polêmica tomou proporções muito grandes, porque pais cristãos compreenderam que o Estado estava interferindo no ensino que eles
    desejavam dar aos seus filhos. Estes cristãos exigiram seus direitos de
    rejeitar a maneira de ensinar do Estado. Foi aí que se estabeleceu a
    “Home-School”, o ensino em casa. Por esse sistema pais rejeitam o ateísmo, o
    evolucionismo, ensinando o criacionismo, e dentro da história, salientam a
    malignidade e não o heroismo de certos reis, passando aos descendentes os
    valores morais, éticos, religiosos e políticos que desejam. Os aspectos
    científicos e biológicos não necessitam do evolucionismo para serem ensinados. Aqui
    no Brasil o interferimento na vontade dos pais e tão estúpido e arbitrária, que
    se uma família por questão de sua fé, valores ou princípios não enviar seus filhos
    à escola estão sujeitos à prisão.

    Nossa proposição, em vista dos pais no Brasil não possuírem grau de formação capaz de escolarizar seus filhos o Estado Brasileiro tem o dever de sustentar escolas
    diferenciadas, onde se ensina com base Bíblicas, possibilitando aos pais a
    liberdade de escolha: Se querem uma escolarização materialista ou uma educação
    baseada nos valores cristãos da existência humana.

    Porque, pergunto: As escolas do Estado têm que ser regida por um sistema ateu de
    ensino? “Até quando vocês continuarão nesta loucura? Até quando terão prazer em
    zombar da sabedoria? Será que nunca aprenderão?”

    Os conselheiros da educação têm que ter o direito e a liberdade de analisar e aprovar
    normativas de conteúdos próprios para serem ministrados em escolas cristãs. Não
    estou falando em ensino teológico ou filosófico cristão, refiro-me aos ensinos
    seculares onde fatos políticos e históricos deveriam ser banidos do ensino ou
    dar uma conotação digna de sua anomalia ou malignidade.

    O Estado que cobre as despesas de seu sistema educacional deveria cobrir também os da escolas Cristas de Ensino. Nada de pagar despesas de escolas particulares cuja finalidade é empresarial. Estou me referindo a Escolas de Princípios Cristão e
    outras cujos valores paternais pudessem ser aplicados sem censura e serem
    respeitados. Para os ateus intransigentes, os arrogantes e quem não sabe isto se
    chama LIBERDADE. Se conseguirmos que Escolas ensinem valores desejados pelos pais, tivessem os mesmos direitos e privilégios das Escolas Estatais, duvido, que aqui no Brasil, houvesse muitas escolas que aplicassem o atual sistema materialista e
    ateu que domina o sistema hoje. O Estado faria suas escolas laicas e os cristãos
    suas escolas de valores bíblicos, aberta a todos, com professores concursados
    pelo Estado e Município, não fazendo distinção de religião, de filosofia ou política.

    Pois é claro que o Estado, sendo absolutista como é, nas falsas democracias, como a
    dominante aqui, o atual espírito dominante político-filosófico se oporá dizendo
    que isto seria impossível, mas esta não é a verdade, porque nos USA
    existem muitas correntes de pensamento, mas só dois partidos políticos de modo
    que onde há tolerância, sabedoria e compreensão todas as coisas
    podem chegar a uma consciência lógica sobre os três pensamentos básicos
    que existe no mundo, que Deus é o criador, independente da matéria, de vida
    inerente; que Deus está contido na matéria, o Panteísmo; e, que Deus não
    existe, a matéria pré-existente, o materialismo.

    Agradecemos aos que nos escrevem. Através do Centro Evangélico Brasileiro estarei sempre às ordens para atender todos que nos procuram com suas dúvidas e proposições.
    A liberdade que os outros exigem para si em ministrar nas escolas tudo o que eles desejam pensam e fazem exigimos também para nós. Ensinar pela Bíblia dentro dos valores estabelecidos é para nós verdades absolutas da Palavra de Deus.

    Curtir

  4. Isso mesmo, extinguam a bancada evangélica por motivos fúteis e apliquem este “amor” aceitação, conformismo, indiferança e preguiça de vocês e recebam em troca este para nação, para nossos, filhos e futuras gerações. Isso mesmo deixem tudo por conta do amor, mas do amor deles e vejam como é que vai ficar e no final aplaudam por “amor”.

    “Deixai vir a mim as criancinhas; não as impeçais, pois delas é o Reino de Deus”
    Teremos de renunciar aos nossos direitos, conforme os título VI artigo 32 e título X artigo 62.
    Pense nisso!
    ISSO É O CÚMULO DO ABSURDO!! (Pelo menos para nós . . .)
    Essa é a proposta da Sen. Marta Suplicy.
    PEC elaborada pela OAB?!!! (eu sou da OAB e não concordo)
    Amigos,
    É essa a Proposta de Emenda à Constituição que a Senadora Marta
    Suplicy e a Comissão Especial de Diversidade Sexual da Ordem dos
    Advogados do Brasil – OAB estão elaborando para o nosso País.
    Principais pontos:
    – Acabar com a família tradicional
    – Retirar os termos “pai” e “mãe” dos documentos
    – Acabar com as festas tradicionais das escolas (dia dos pais, das
    mães) para “não constranger” os que não fazem parte da família
    tradicional
    – A partir de14 anos, os adolescentes disporão de cirurgia de mudança
    de sexo custeada pelo SUS
    – Cotas nos concursos públicos para homossexuais etc…
    Eis o texto:
    “A senadora Marta Suplicy (PT-SP) elogiou a Proposta de Emenda
    Constitucional (PEC), elaborada pela Comissão Especial de Diversidade
    Sexual da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que quer ampliar
    privilégios a indivíduos viciados em práticas homossexuais.

    O texto tem a pretensão de introduzir na Constituição todas as
    decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) que favoreceram a agenda
    gay, inclusive a garantia de união estável para duplas homossexuais,
    com direito à conversão em casamento e adoção de crianças.
    De acordo com a agência de notícias do Senado, “a PEC tem como um de
    seus principais ponto a criminalização da homofobia e estabelece a
    pena de dois a cindo anos de reclusão para aqueles que praticarem atos
    de discriminação e preconceito em virtude da orientação sexual de
    alguém. A mesma punição se estende aos que incitarem o ódio ou
    pregarem [contra a] orientação sexual ou identidade de gênero”.
    Com a aprovação da PEC, a própria Constituição do Brasil se
    transformará num PLC 122. Mas Suplicy reconhece que a tentativa de
    transformar a Constituição do Brasil numa constituição
    anti-“homofobia” certamente enfrentará resistência de “setores como o
    da igreja”.
    A senadora acredita que, estrategicamente, será importante aprovar
    primeiro o PLC 122/2006, pois sua tramitação está mais avançada, tendo
    já sido aprovado sorrateiramente na Câmara dos Deputados e restando
    apenas a votação no Senado. O segundo passo, na avaliação de Marta, é
    apresentar a PEC, que é uma matéria mais ampla e complexa. “A PEC é
    bem mais difícil de aprovar. Então, vamos começar com a homofobia e
    avaliar o momento adequado para fazer uma PEC com essa amplitude, que
    é realmente o sonho que nós gostaríamos para todo o País”, explicou a
    senadora à agência do Senado.
    O Estatuto da Diversidade Sexual conta com 109 artigos, que alteram
    132 dispositivos legais. O Estatuto criminaliza a homofobia, reconhece
    o direito à livre orientação sexual e iguala os direitos fundamentais
    entre heterossexuais e LGBTs.
    Eis algumas dos “avanços” que o Estatuto da Diversidade Sexual propõe:
    Legitimação da PEDOFILIA e outras anormalidades sexuais:
    Título III, Art. 5º § 1º – É indevida a ingerência estatal, familiar
    ou social para coibir alguém de viver a plenitude de suas relações
    afetivas e sexuais.
    Sob essa lei, a família nada poderá fazer para inibir um problema
    sexual nos filhos. A sociedade nada poderá fazer. E autoridades
    governamentais que ainda restarem com um mínimo de bom senso estarão
    igualmente impedidas de “interferir”.
    Retirar o termo PAI E MÃE dos documentos:
    Título VI, Art. 32 – Nos registros de nascimento e em todos os demais
    documentos identificatórios, tais como carteira de identidade, título
    de eleitor, passaporte, carteira de habilitação, não haverá menção às
    expressões “pai” e “mãe”, que devem ser substituídas por “filiação”.
    Essa lei visa beneficiar diretamente os ajuntamentos homossexuais
    desfigurados tratados como família. Para que as crianças se acostumem
    com “papai e papai” ou “mamãe e mamãe”, é preciso eliminar da mente
    delas o normal: “papai e mamãe”.
    Começar aos 14 anos os preparativos para a cirurgia de mudança de sexo
    aos 18 anos (pode começar com hormônios sexuais para preparar o
    corpo):
    Título VII, Art. 37 – Havendo indicação terapêutica por equipe médica
    e multidisciplinar de hormonoterapia e de procedimentos complementares
    não-cirúrgicos, a adequação à identidade de gênero poderá iniciar-se a
    partir dos 14 anos de idade.
    Título VII, Art. 38 – As cirurgias de redesignação sexual podem ser
    realizadas somente a partir dos 18 anos de idade.
    Cirurgias de mudança de sexo nos hospitais particulares e no SUS:
    Título VII, Art. 35 – É assegurado acesso aos procedimentos médicos,
    cirúrgicos e psicológicos destinados à adequação do sexo morfológico à
    identidade de gênero.
    Parágrafo único – É garantida a realização dos procedimentos de
    hormonoterapia e transgenitalização particular ou pelo Sistema Único
    de Saúde – SUS.
    Uso de banheiros e vestiários de acordo com a sua opção sexual do dia:
    Título VII, Art. 45 – Em todos os espaços públicos e abertos ao
    público é assegurado o uso das dependências e instalações
    correspondentes à identidade de gênero.
    Não é permitido deixar de ser homossexual com ajuda de profissionais
    nem por vontade própria:
    Título VII, Art. 53 – É proibido o oferecimento de tratamento de
    reversão da orientação sexual ou identidade de gênero, bem como fazer
    promessas de cura.
    O Kit Gay será desnecessário, pois será dever do professor sempre
    abordar a diversidade sexual e consequentemente estimular a prática:
    Título X, Art. 60 – Os profissionais da educação têm o dever de
    abordar as questões de gênero e sexualidade sob a ótica da diversidade
    sexual, visando superar toda forma de discriminação, fazendo uso de
    material didático e metodologias que proponham a eliminação da
    homofobia e do preconceito.
    Contos infantis que apresentem casais heterossexuais devem ser banidos
    se também não apresentarem duplas homossexuais travestidas de “casais:
    Título X, Art. 61 – Os estabelecimentos de ensino devem adotar
    materiais didáticos que não reforcem a discriminação com base na
    orientação sexual ou identidade de gênero.
    As escolas não podem incentivar a comemoração do Dia dos Pais e das Mães:
    Título X, Art. 62 – Ao programarem atividades escolares referentes a
    datas comemorativas, as escolas devem atentar à multiplicidade de
    formações familiares, de modo a evitar qualquer constrangimento dos
    alunos filhos de famílias homoafetivas.
    Cotas nos concursos públicos para homossexuais assim como já existem
    para negros no RJ, MS e PR e cotas em empresas privadas com já existe
    para deficientes físicos:
    Título XI, Art. 73 – A administração pública assegurará igualdade de
    oportunidades no mercado de trabalho a travestis e transexuais,
    transgêneros e intersexuais, atentando ao princípio da
    proporcionalidade.
    Parágrafo único – Serão criados mecanismos de incentivo a à adoção de
    medidas similares nas empresas e organizações privadas.
    Casos de pedofilia homossexual irão correr em segredo de justiça:
    Título XIII, Art. 80 – As demandas que tenham por objeto os direitos
    decorrentes da orientação sexual ou identidade de gênero devem
    tramitar em segredo de justiça.
    Censura a piadas sobre gays:
    Título XIV, Art. 93 – Os meios de comunicação não podem fazer qualquer
    referência de caráter preconceituoso ou discriminatório em face da
    orientação sexual ou identidade de gênero.
    “O Estatuto da Diversidade Sexual é um avanço. Isso nunca havia sido
    pensado em relação às questões LGBT”, reconheceu Marta Suplicy,
    classificando-o como de importância “inquestionável”.
    O Estatuto defende que o Estado é obrigado a investir dinheiro público
    para homossexuais que querem caros procedimentos de reprodução
    assistida por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) e também o Estado é
    obrigado a criar delegacias especializadas para o atendimento de
    denúncias por preconceito sexual contra homossexuais, atendimento
    privado para exames durante o alistamento militar e assegura a visita
    íntima em presídios para homossexuais e lésbicas.
    ________________________________________________________________
    NÃO VAMOS DEIXAR ISSO ACONTECER! É O FIM DO MUNDO PESSOAL.
    O POVO BRASILEIRO TEM QUE REAGIR, ANTES QUE SEJA TARDE DEMAIS.
    “Não é preconceito, mas questão de princípios, estão querendo acabar com a família, até mesmo os termos Pai e Mãe, e tudo que há em uma família, é um absurdo.”

    Curtir

    • OAB como sociedade civil, só elabora PEC com assinatura de 1% dos eleitores.

      Esse documento que tá circulando por aí é completamente falso, Dana. OS caras inventam deliberadamente, colocam o nome de alguém conhecido que reconhecidamente apoia a causa gay (no caso, a Marta Suplicy) e espalham o hoax por aí.

      Eu conheço o andamento dos projetos no Congresso Nacional e te digo com certeza que essa PEC nunca entrou em pauta. É tão mentira quanto aquele e-mail que circulou uns 5 anos atrás e de novo no ano passado, dizendo que ia acabar o 13º, férias, etc. E que dizia respeito a um projeto da época do FHC (!!!) que nem falava nada acerca disso e não foi aprovado.

      Pessoal também age muito de má fé na Internet. Complicado.

      Curtir

      • sua palavra contra a dele e o contexto atual, não duvido de nada.

        O Brasil tem muitas outras prioridades a se tratar pra ficar pensando em dar privilégio a alguma classe social. Nesse “novo brasil” seria vantajoso se dizer gay para entrar em concurso público ou faculdade.

        Qualquer machão malandrão esperto faria isso hahahaha

        Curtir

    • Existem pessoas que nao tem sabedoria para ler a biblia,entendem de maneira inversa e fezem o mesmo com a propria vida tbem,acho que esse é seu caso, ainda bem que a maioria neste pais tem bom senso e ta começando ja perceber este complo evangelico e a maioria graças a Deus, ainda é catolica

      Curtir

  5. Para bens pelo texto,mas infefelismente quando algum comentario atinge pseudos evengelicos protestantes, a coisa fica feia a carapuça serve direitinho e vem chumbo de tudo quanto é lado igual metraljadora giratoria , aprarecem tantos entendidos de biblia citando versicolos iterpletando de acordo com suas propias idéias ou crenças .Pois fazem 2 anos que diariamente leia a biblia alias 2 paralelamente , a João ferreira e a Ave Maria e sinseramente não tenho base para ficar discutindo em cima de versicolo biblico, como se fosse tirado de dentro de uma cumbuca, Agora quanto a pastores, padres ,deveriam cuidar melhor de suas ovelhas e não ficar discutindo religião e muito menos politica ,se quizer ser um politico primeiro entregue seu pósto , pois politica não condis com um bom cristão não da para servir a dois senhores

    Curtir

  6. Essa publicação foi uma crítica completamente destrutiva porque generaliza completamente.
    É verdade tem gente que quer levar a igreja para o legislativo mas não são todos.
    Dê sua opinião mas não tente impor suas idéias,se fizer críticas faça mas sem difamar ninguém e que sejam construtivas.

    Curtir

  7. Cara,

    Parabens pelo seu post!

    Se todos os religiosos fossem igual a voce, o mundo seria bem melhor.

    Cara, como ateu, estou muito preocupado com o futuro politico do Brasil.

    Um abraco irmao!

    Curtir

  8. Acho interessante que exista alguém para lutar contra leis como a da mordaça gay e esse movimento ateista que confunde estado laico com estado ateu.

    É preciso mais políticos religiosos, católicos e cristãos, para amenizar essa enxurrada de cultura mundana que deixa de lado os valores cristãos, é preciso para segurar a degradação moral transmitida pela mídia todos os dias.

    PARABÉNS à bancada evangélica por barrar o PL122, lei que censuraria até mesmo os cultos e um pai a ensinar seu filho com uma posição sobre homossexualismo. Que nas próximas eleições possamos eleger mais pessoas com essa postura e barrar absurdos recentes em nosso país como a liberação de drogas e aborto.

    Curtir

    • Estado laico é aquele em que a religiao nao interfere na politica,exatamente o contrario que a bancada evangelica faz, essa bancada evangelica tem como objetivo: poder,poder,acho que deveriam se preocupar com a fome,a miseria e a corrupcao,inclusive varios da bancada evangelica sao acusados de corrupçao e quem paga os salarios deles,nao sao só evangelicos,somos todos nos. Deixar esssas pessoas dessa bancada no poder seria como voltar a Idade Media,que foi o periodo mais retrogrado e dacadente da humanidade,nem o egito antico e roma antiga eram tao atrasados como essa bancadinha evangelica

      Curtir

    • Parabéns é o raio que o parta! Crentelhos estão na política apenas para impedir direitos alheios, incitar o ódio e difamar pessoas, principalmente a homosexualiDADE… (doentes são vocês), portanto… PLC122 JÁ!!!

      Curtir

    • Só faço isso pra evitar spams e coisas muito graves estilo ofensas à minha mãe, mas é só o primeiro comentário. Agora pode comentar à vontade (e seus três comentários, incluindo esse, já estão aprovados)

      Curtir

  9. Estão se achando donos do Brasil, e acham que democracia é feita de maioria, estão se intutulando 140mil num estado, dizendo que nós que não somos como eles, teremos de dançar na mão de cada um quando dominarem o país… Estão botando as asinhas de fora, estão se achando, mas pensem um pouco, será que vocês dominarão, ou estão sendo dominados? Vigia e ora que o negócio tá ficando feio para o lado de vocês… Uma coisa é ser cristão e defender o que acredita na sua particularidade e dentro de locais propícios, outra coisa é querer se meter na política, estamos num regime de esquerda, onde valorizam a liberdade de ser como se bem entende, quando vocês pararem de molhar a mão do resto, ou quiserem tomar mais poder do que acham que tem, vai ser uma queda feia de dar dó!

    Sou de família católica, tenho evangélicos na família também, acredito em D’us, mas sei diferenciar o certo do errado, e os cristãos da bancada, ou que se simpatizam com ela, estão perdendo a racionalidade… Estão travando uma guerra santa em nome do que acreditam, e o ser humano não é mais cruel quando faz por convicção religiosa, em nome de Dus se mata, se derrama sangue e se faz injustiças contra pessoas inocêntes… Não deixem a fé de vocês passar da porta pra fora do templo, a fé misturada a política causa sérios problemas… Não adianta comentar aqui dizendo que não é assim, pq nós estamos abrindo olhos e ouvindo atentamente, vocês estão ficam cego e tapando os ouvidos para apenas acreditar no que leh dizem… Vão ler, vão se informar mais…

    O texto está perfeito e muito bem elaborado! Parabéns!

    Curtir

  10. o bando… a verdade é que nunhum de vcs e nem eu sabemos nada….pois se soubessemos não estariamos aqui discutindo…..então vivam a vida e façam o bem e pronto….

    Curtir

  11. É lamentavel mesmo ver politicos usando igrejas evangelicas como palanque eleitoral somente para chegar em Brasilia,pior ainda é ver gente ignorante e cegas pelo fanatismo que nao conseguem enchergar o obvio, parece que a biblia deixou de ser aquele livro sagrado para os critãos e transformou se em codigo civil brasileiro, falar em Deus e Jesus virou moda e aquele que pronuncia mais o nome de Jesus vira bonzinho,policamente,religiosamente correto. Conheço pessoas que nunca leram a biblia mas,sao portadoras de uma bondade tao grande que seguem paso a passo a biblia,sem ao menos ter aberto uma.

    Curtir

  12. Pingback: 1 ano de blog. E os 14 textos mais lidos | Aleatório, Eventual & Livre

  13. Eu acho interessante o assunto, se poder dar minha opinião o Brasil já deixou de ser muita coisa e corre risco de ser Exdemogracia.
    Para todo mundo ser Feliz acho que além do grupo ou frente evangélica ou bancada que formou no congresso para defender seus interreses, nós deveríamos também ter uma bancada para defesa dos assuntos afro-religiosos , uma bancada defesa dos católicos
    Dos muçulmanos, Budistas e afins. Assim seremos uns pais laico e Democrático, pois só o que vemos e jogo de interesse. Infelizmente como amigo falou já foi dado um cala boca para a bancada que chorou(ministério), e se outros grupos não se formarem e não reivindicarem, amigo o barco vai afundar ai não teremos espaço para o pensamento e credo religioso. Obs.: vejam que meus amigos afros já sofrem e também a imagem católica que é destruída em publico e fica por isso mesmo. Espere e verão…

    Curtir

  14. Sou cristao evangelico e digo q gostei doq foi dito aq. Realmente há lideres inescrupulosos e interesseiros no meio cristao, pessoas q so se preocupam em controlar a vida dos outros e ter cada vez mais bens materiais, considero tb a teologia da prosperidade uma afronta ao q realmente há na biblia e ao q cristo ensinou a todos, no entanto, vejo q há tb muito preconceito contra cristaos e muitos ataques aos preceitos biblicos. É importante salientar q homossexualidade é errada na visao cristao e tb descrita como abominaçao e isso nunca vai mudar, sendo q por isso se torna imcompativel uma vida cristã E homossexual. É sempre bom relembrar q Cristo sempre amou a todos mas tb nunca aceitou o pecado, da mesma forma q ele disse para a mulher adultera, “vá e nao peques mais” , tenho certeza q se ele encontrasse um homossexual ele diria tb p ele “vá e nao peques mais”. Como cristao tenho sempre q relembrar isso e tratar a todos com respeito e amor mas tb tenho o dever biblico e sagrado de nao aceitar o pecado.

    Curtir

  15. ‎”A escuridão não pode expulsar a escuridão, apenas a luz pode fazer isso. O ódio não pode expulsar o ódio, só o amor pode fazer isso.”
    Martin Luther King Jr.

    Curtir

  16. Não sou religiosa, mas acredito sim em algo além da ciência… é mha forma de ter fé, de crer em algo maior, sem denominar q sigo esse ou aquele “mestre” religioso… posso ser adoradora dos cultos pagãos, da natureza, admirar Jesus e outros avatares, simpatizar com Alan Kardec e outros espíritos de luz e ter mha consciência tranquila.
    Li e conversei com várias pessoas, e até um deputado, através de email sobre essa questão da “bancada”. A começar q essa denominação “bancada evangélica” não é um nome oficial, mas um rótulo dado pela mídia p/ se referi a esses eleitos que por acaso são evangélicos. Houve uma eleição. Houve uma democracia. E eles ganharam.. Se for X ou Y q votaram neles, nao dá p/ discutir. A verdade é q eles estão lá. E sendo assim, não existe isso de “banir” a tal “bancada”, pois é uma escolha do povo… O q deveria ser discutido então é uma forma de repudiar o q eles fazem la, assim como os demais deputados, vereadores, independente do q eles são. em paralelo a isso, há os ruralistas tb, há os q defende os direitos dos animais, há os corruptos… isso sim tem q ser repudiado. Mas falar em banição ak, estaremos sendo tão = ou pior a eles q tto demosntram aversão àquilo q não está de acordo com “seus preceitos”.
    Temos sim q, nas prox eleições, votar com consciência, sabendo q há outras propostas q nao serão de agrado a todos…
    Me resta apenas uma pergunta: Onde está o Direitos Humanos qdo determinada pessoa ou seitas criam essas blasfêmias de “cura” e denigrem a pessoa só pq ela não é como os demais???
    Isso sim deveria ser tb questionado!!!
    Entendam: não estou fazendo apologia a religiao ser certa ou errada… O q é errado são as atitudes humanas q “traduzem” as escritas religiosas da forma como lhe convém, como lhe agrada.
    Sobre a questão família, q foi mto citada ak: ora ora… não sejamos hipócritas… vms pelo pressuposto: o homem e a mulher foram feitos um p/ outro e o sexo apenas p/ constituir família. (Me engana q eu gosto: imaginem q todos cristãos só fazem p ter filhos…aaahhh tá) Pois bem.. então aqueles casais q optam por não ter filhos (pq não podem ou não qrem), e nem adotam nenhuma criança.. essas pessoas a Igreja vai condenar tb??? A mulher q decidiu não casar e viver só.. ela tb será condenada? O homem solteirão.. será condenado? E se eles tiverem filhos e não se casarem???….qta balela!!!!

    Curtir

  17. Concordo com você, a bancada evangélica é um vírus que corrompe a politica brasileira. Mas mesmo que muitos preguem a existência de um deus, seja ele o deus cristão ou qualquer outro deus inventado por ai, pois é isso que deuses são, apenas seres inventados pelos humanos, criados por medo, medo de perecer sem tem no que acreditar, por isso escolhi ser ateu, escolhi acreditar nas pessoas, e não ser manipulado por pessoas que defendem ideia de seres imaginários.

    Curtir

    • Cara, eu respeito muito a opinião individual das pessoas. Crer em Deus ou em qualquer ser superior ou não crer é uma opção sua, e isso é que tem que ser respeitado, antes de tudo.

      Curtir

      • Sim, o mais importante é o respeito, nisso eu também acredito, só não gosto muito da ideia de ser considerado um ser aversivo por não acreditar em algo que as pessoas costumam impor a acreditar, elas vão até a sua casa as 8:00 da manhã pra te convencer se for preciso, sempre recebo olhares atravessados quando digo que não creio em deus, e fazendo um balanço acho que crença em qualquer divindade faz um mal maior que o bem que possa a vir propiciar.

        Curtir

  18. Sim, muito da aversão aos evangélicos ou Testemunhas de Jeová (e são duas coisas completamente diferentes, só pra constar) vem justamente da postura por vezes intrusiva da parte de alguns. O maior valor que as pessoas podem ter é a liberdade de opinião.

    Curtir

  19. Bom, eu sou ateu, mas o que está escrito no texto é correto, hoje pelo menos no meio em que eu vivo por causa desses caras da “bancada evangélica” a visão de gays, ateus, entre outros
    (dos que eu conheço pelo menos) dos cristãos mais precisamente evangélicos é que são pessoas ignorantes, preconceituosas, arrogantes por acharem que tem a verdade absoluta entre outros adjetivos que prefiro não citar aqui.
    excelente texto cara, continue com o bom trabalho.

    Curtir

  20. Queria te parabenizar pelo site, é difícil achar um lugar onde a opinião contraria de um (no caso eu) não venha a despertar a ira dos demais. A religião já trouxe benefícios e malefícios para a sociedade, mas acredito que seu prazo de validade expirou, esta na hora de um mundo em que o método seja algo levado a sério.

    Curtir

    • Opa, agradeço as palavras. Mas um mundo melhor se constrói, antes de tudo, ouvindo e respeitando todas as opiniões, mesmo que elas não coincidam com as nossas.

      Abraço!

      Curtir

  21. Pingback: MISTURA URBANA » Quando as minorias caem nas mãos dos intolerantes » Archive

  22. Leo, te sigo no Twitter, tenho formação cristã, sou batizada e abandonei o “cristianismo atual” exatamente por não compactuar com as práticas e o discurso da maior parte das igrejas evangélicas e seus representantes. Boicoto fortemente inclusive. Achei incrível sua paciência em conversar e responder a todos os comentários. Esta postagem foi um bom exemplo de fé e amor cristão, parabéns! Só não acho que valha a pena dar murro em ponta de faca com fundamentalista ignorante…
    Paz!

    Curtir

  23. Pingback: O fundamentalismo como estilo de vida | Aleatório, Eventual & Livre

  24. Ok vc fala de liberdade, de defender interesses de uma classe só?? E os deputados homossexuais?? Ñ estão ai lutando pelos direitos predominantes, acima de qualquer outro, de uma classe distinta tbm??

    Curtir

    • 1) Tem uma certa diferença entre alguns grupos evangélicos, já consolidados no país, com alta penetração na sociedade e que querem impor uma visão sectária através do Congresso, e outras minorias, como negros, mulheres e homossexuais, que só querem tratamento igual ao resto da sociedade.

      2) Existe forte oposição a esse tipo de postura dentre os evangélicos. Os principais prejudicados são os cristãos. O que é necessário fazer? Falar para caras como Marco Feliciano, Silas Malafaia e companhia algo como “vocês não nos representam, então parem de espalhar por aí que vocês representam TODOS os evangélicos, pro favor.

      Não existe nenhum problema em um cristão entrar na política. O problema, basciamente, é o cristão fazer da religião a sua plataforma política.

      Curtir

      • Concordo plenamente com seu ponto de vista, ser tratado igual é diferente de concordar com sua conduta, o problema é generalizar, vi tantos ataques a igreja evangélica, simplesmente pelo generalizar, eles querem ser tratados iguais, serão, mas n quer dizer q concordo com a conduta, nunca desrespeitei e nunca tratei mal um homossexual, ao contrário, converso e trato como amigo, pq isso q eles são…mas n concordo com a conduta deles, e eles sabem disso e respeitam minha opinião.

        O q acontece, meu caro amigo, é q , tanto a bancada evangélica, quanto a homossexual, fala de respeito, de ser tratados iguais, mas os dois de um lado e outro se batem, mais quem sempre aparece na mídia somos nós, os evangélicos!

        Agora pq? O deputado Jean Wyllys xingou a torta e a direita os evangélicos, chegando a chamar de burros, falando mal da nossa fé, e dizendo q teriamos q ser “exterminados”. E n vi nada na TV falando sobre isso. Já o mais recente, quando Silas, foi a programa da Marília Gabriela, pronto! Virou febre, a mídia caiu matando.

        Se estamos falando de democracia, creio q os dois lados tem q ser vistos pelo povo em geral, n somente um, creio q nisso concordas comigo.

        Curtir

      • Mas eu concordo plenamente contigo que todos devem ser respeitados. O outro extremo da discussão, que é generalizar negativamente todos os cristãos, é tão errado quanto também.

        O problema aqui são as posturas sectárias, excludentes. Sejam elas de cristãos, gays, ou de qualquer outro tipo de militante. O cristão tem que fazer aquilo que está na Bíblia. O maior mandamento sempre será “amar a Deus sobre todas as coisas e amar o próximo como a ti mesmo” e todas as demais coisas deveriam ser decorrentes disso. Se realmente aplicássemos isso em todo tempo, nada nessa discussão faria nenhum sentido, tendo em vista que todas as posições excludentes são decorrentes do egoísmo e do desejo das pessoas em diminuir as outras de alguma forma.

        Opinião, todos nós podemos ter e devemos manifestar. Ninguém te impede de discordar da atitude do gay. O que incomoda é a tentativa de imposição a uma sociedade não cristã de restrições via lei. É das coisas menos cristãs que um cristão pode fazer. Somos estrangeiros e forasteiros nesse mundo, pra que essa tentativa contínua de tentar dominá-lo politicamente?

        Só analisar a história do cristianismo: sempre que os cristãos foram perseguidos, a igreja voltou ao caminho e cresceu (início da igreja, Reforma Protestante, Puritanos nos EUA). Sempre que os cristãos viraram status quo, a igreja se desviou do caminho e se estagnou (igreja Católica com Constantino, igreja americana atual). Com Jesus também foi assim.

        Prefiro ser perseguido e continuar no caminho do que ser perseguidor e viver num moralismo fariseu.

        Curtir

      • Não, crentelhos não buscam seus direitos não, eles/vcs buscam é impedir o direito alheio, simplesmente por isso que essa corja de safados, mentirosos e manipuladores devem ser combatidos da política!!!

        Curtir

  25. Ai sim entramos num consenso, políticas q generalizam e perseguem devem ser abolidas, mas entrastes num ponto interessante.

    Na bíblia fala sim, q os dois maiores mandamentos, q p quem n sebe resumem os 10, são: “Amarais a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a ti mesmo”, mas amor n quer dizer q concordo com o q a pessoa faz, eu particularmente amo meus amigos homossexuais, mesmo discordando das suas práticas, mas entramos num tema em questão.

    A bíblia n fala de amor como o amor de hollywood, um amor rosa e quente, q n vê defeitos, isso n é amor, o amor da bíblia é o amor de verdade, q vê os defeitos, q ama mesmo sem ser amado, q ajuda mesmo sem esperar nada, esse amor q a bíblia fala mais q poucos conseguem seguir. Amar meu amigo, n significa concordar com a opinião/vontade/desejo, significa querer ver a mudança, querer ajudar a mudar, n aceitar aquele ato, pois n acha certo e tentar, de alguma forma, mostrar a pessoa.

    Mas muitos hoje em dia, preferem ir pela dor, batendo de frente e dizendo “Tá errado e acabou!” sei q isso n dá certo pra ambos os lados, pq particularmente, quando alguém apresenta uma opinião adversa a minha, e bate de frente me confrontando, a minha vontade é confrontar tbm, e ir em cima, até q um dos lados seja derrotado.

    Aonde quero chegar é o seguinte, n é tirar os evangélicos da bancada, pq ai vc mesmo estaria favorecendo a banda homossexual, os declarando “vencedores” ( pois até mesmo o atacado Marcos Feliciano disse q a intenção dele é zelar pelo povo brasileiro, mas infelizmente a mídia quer audiência, e o q dá? Falar mal dos cristãos! ) e sim gerar verdadeiras assembleias, colocando em pauta ambas as opiniões, e n ficar nesse joguinho, nessa guerra silenciosa, favorecendo um ou outro lado só pela audiência.

    Vc sabe, hoje em dia a mídia é considerada o 4 poder, e estado muitas vezes acima até mesmo dos outros 3 ( legislativo, executivo e judiciário ) de nada adianta nos basearmos nela, pois ela mesmo mente! Atualmente moro no nordeste, especificamente no Maranhão, e hoje vejo o poder q a mídia exerce. As pessoas acreditam, até hoje, q Roseana é “boazinha”, simplesmente pq assim q mídia divulga.

    Se temos uma opinião, defenderemos ela, com ordem e bom senso, pois somos democráticos, e nada nunca deu certo na pressão, como vc mesmo diz, quanto mais pressiona mais força ganha, e sim na conversa, podemos n concordar, podemos, n devemos é exclui-los!

    O q a bancada evangélica defende está na biblia, e se vc mesmo a citou é pq de alguma forma ententende, se cremos q devemos amar ao proximo q está em uma parte, pq tbm n cremos q a união homo afetiva errada? Se tbm está lá? Cremos q toda a palavra é verdade, e só pq uma classe em questão, se sentiu desvalorizada pela palavra devemos voltar atrás? N, se está lá q tá errado nós defenderemos q está, mas digo e repito, com ordem e bom senso, pois com briguinha e picuinhas n se vai a lugar nenhum, só a uma briga e “guerra iminente”, n é tirar só um, se for tirar, tire os dois lados!

    Curtir

    • Entendo seu pensamento. Não disse que o amor “tem que aceitar qualquer coisa”, mas, se formos ver o ministério de Jesus, ele separa bem o amor às pessoas da repulsa ao pecado que elas cometem. As únicas restrições de Cristo e de todo o novo Testamento não estão no que a pessoa faz na sociedade como um todo, mas dentro da igreja. Jesus e os apóstolos chamam os pecadores (todos nós) às igrejas, mas querem purificação quando essas pessoas assumem ministérios e fazem parte do trabalho cristão.

      Essa purificação não pressupõe julgar os outros socialmente falando. em nenhum momento Jesus estendeu julgamento algum àqueles que não acreditavam nele, porque já estava claro que o julgamento deles seria realizado no fim dos tempos. Não somos nós que temos que fazer esse tipo de julgamento. Não é impondo restrições ao Estado que nós vamos fazer as pessoas entenderem a fé cristã.

      Jesus Cristo claramente separou a igreja de qualquer vínculo com o estado, e sempre que a igreja tenta participar das decisões políticas ela acaba se contaminando. Eu até comentei sobre isso em outro texto sobre o assunto: http://leorossatto.wordpress.com/2012/09/12/todos-perdem-quando-politica-e-religiao-se-misturam/

      E entendo sua preocupação com o papel da mídia também. Só que a mídia basicamente defende o que é mais rentável pra ela. É só ver, por exemplo, a forma como Edir Macedo tá usando a Record há duas décadas pra defender seus interesses. E como esses mesmos pastores que estão no Congresso pagam e usam a mídia para propagarem sua mensagem neopentecostal, geralmente baseada na teologia da prosperidade

      Pra mim, eu tenho que o cristianismo parece sempre estar mais perto de seu objetivo quando está longe da política e da mídia.

      Curtir

  26. Pingback: Marco Feliciano e os Direitos Humanos | Aleatório, Eventual & Livre

  27. Nós os evangélicos jamais iremos usar a midia ou ofensas ou agressões imorais e injustas a quem quer que seja como fizeram com Jesus e com a sua igreja evangélica ao longo de toda a histdória até porque sabemos que uma luta que é espiritua só pode ser vencida por meio de oração e fé em Deus. Estamos preparados. Sabemos também que há uma orientação mundial para que seja utilizado toda espécie de atificio dentre eles o que sempre foi usado contra nós que é a calúnia e a difamação na intenção de impedir o nosso crescimento que tanto têm incomodado e somos as únicas barreiras para quem quqer implantar no mundo a vontade do diabo. Podem nos perseguir, muitas leis ruins serão aprovadas, mas Jesus disse que as portas do inferno não podem prevalecer contra a sua igreja, e quanto mais dos nossos forem morrendo mais a igreja crescerá, ninguém pode barrar o crescimento da igreja de Jesus. Recebemos assim como os póstolos de Cristo no passado o nome de heréges, de protestantes e tantos outros. Seremos caluniados, seremos caçados pior do que o que já está acontecendo com o feliciano, nossos filhos sofrerão abusos e tudo mais, mas Jesus virá como rei e como juiz. E todos o verão e receberão cada um segundo as suas obras. E ele mesmo disse: ai daqueles que se levantarem contra a minha igreja. Melhor seria pegar uma pedra bem amarraá-la em uma corada pendur-a-la no pescoço e pular do alto de um monte do que fazer algo contra os seus pequeninos

    Curtir

    • O seu deus podre não existe, a tua “briba” é um conto de fadas, crentelhos são uma piada e “cristãos chefes” são vagabundos delinquentes perturbadores da ordem e ameaça na sociedade, portanto devem ser banidos desse mundo. Pessoas de bem devem afastar-se de crentes e não deem nenhuma oportunidade ao meio social, são como cobras criadas, um certo dia vc dá o almoço dela e a noite ela te janta.

      Curtir

  28. Muito bom e esclarecedor. Triste é que esse post um ano e meio depois continua muito atual. Mais do que nunca precisamos lutar para impedir os retrocessos que a bancada evangélica propõe como cura gay e estatuto do nascituro. Mais do que nunca precisamos barrar a bancada evangélica

    Curtir

  29. Pingback: A Liberdade do exercício do Cristianismo como escolha pessoal | Um Pouco de Prosa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s